Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Dicas falíveis para esvaziar tudo, menos a cabeça

Por Wendell Guiducci

02/02/2021 às 07h00 - Atualizada 01/02/2021 às 22h30

Esvaziar a cabeça não é fácil. Há quem ensine como. “10 dicas para relaxar a mente antes de dormir” e promessas análogas. Mas não é fácil.
Fácil é esvaziar uma xícara de café. Um copo de cerveja. Uma garrafa de cachaça Claudionor – se na companhia de um amigo ubaense. Esvaziar um prato de torresmo do Bigode, um jarro de limonada da minha irmã, bola de soprar em aniversário de criança.
(Há quem julgue fácil esvaziar bola de menino quando bate na roseira. Assim, a facada. Eu acho difícil.)
Acho difícil esvaziar pneu de carro de professor chato, ego de dondoca convencida e lixeira com bagaço de laranja dormida. Mas não tanto quanto esvaziar a cabeça nas madrugadas mais estreitas.
Diferente de esvaziar aglomeração em show dos Rolling Stones. É só gritar: “vou vomitar!!”. Dá certinho. Mas esvaziar os bofes pela goela é muito difícil. Pior ainda bebendo chá de boldo.
Esvaziar a cabeça não chega a ser tão difícil quanto esvaziar caixa de gordura ou lixeira de banheiro de rodoviária, mas chega perto. Hipnotistas e coaches zen-budistas dizem que é fácil, mas não é.
Fácil é esvaziar garrafa de Coca-Cola na ressaca, prato de carne com batata no Bar Cascatinha, mala de viagem quando a gente chega ao destino – quando volta pra casa, é difícil pra burro.
Antes esvaziar a cabeça fosse fácil como esvaziar a bacia d’água que amaciou os pés para o serviço da pedicura. A panela em que o macarrão ferveu. O colchão inflável onde as crianças fizeram algazarra até dormirem o límpido sono das cucas desocupadas. Só que não é.
“Escreva a lista de atividades do dia seguinte”, recomenda um “empreendedor serial” indiano. Não me admira a pachorra, já que a identificação “empreendedor serial” é, ela mesma, absolutamente desprovida de sentido, logo, vazia. De vaziez ele deve entender.
“Como você botou no papel, pode relaxar”, ensina o “serial entrepreneur”. Logo a mim, que acabo de botar isso no papel. “A lista estará ali quando acordar.”
A crônica também.
E daí?

O conteúdo continua após o anúncio
Wendell Guiducci

Wendell Guiducci

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia