Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Professor da UFJF assume cadeira no MEC


Por Tribuna

04/02/2015 às 07h00

Manuel Palácios é ligado à Faculdade de Educação

Manuel Palácios é ligado à Faculdade de Educação

O conteúdo continua após o anúncio

Professor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) desde 1991, Manuel Palácios irá assumir a Secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC). Ainda dependendo de publicação no Diário Oficial da União, o convite feito pelo ministro Cid Gomes já foi aceito pelo docente, que substituirá Maria Beatriz Luce, atual titular da cadeira. “A secretaria é responsável por uma série de programas importantes relacionados à educação básica. Inicialmente, temos a preocupação de manter relação harmônica com estados e municípios (que são responsáveis pela educação básica), para estabelecermos formas de cooperação. Novos projetos poderão ser discutidos mais adiante. Outra grande preocupação do ministro é com a formação dos profissionais de educação”, afirmou o novo secretário.

Ligado à Faculdade de Educação, Manuel lembra que sua atuação no Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (Caed) da UFJF, onde atua desde sua fundação e já ocupou cargo de coordenação, foi importante para a escolha. “O Caed tem abrangência nacional e foi como governador do Ceará que o ministro Cid Gomes teve conhecimento de nosso trabalho.” Aos 58 anos e natural do Rio de janeiro, o novo secretário de Educação Básica do MEC já deve estar em Brasília na semana que vem. Por ora, mantém contato direto com a atual titular da pasta.

O novo secretário é graduado formado em Engenharia de Telecomunicações pelo Instituto Militar de Engenharia (IME), com mestrado e doutorado em Ciências Sociais pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio (IUPERJ). Recentemente, ele foi orientador de mestrado da atual vice-governadora do Ceará, Izolda Cela (Pros), que, à época, era secretária de Educação do Ceará, então governado pelo atual ministro Cid Gomes.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia