Tópicos em alta: polícia / campeonato mineiro / suzano / bolsonaro

Venda de ingressos para Tupi e Cruzeiro começa nesta sexta

Bilhetes terão carga total de 5 mil e custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 para duelo do Estadual confirmado neste sábado (16), às 16h, no Estádio Municipal

Por Bruno Kaehler

14/03/2019 às 19h58

Após a confirmação de que o embate entre Tupi e Cruzeiro, válido pela 10ª rodada do Campeonato Estadual, irá ocorrer neste sábado (16), às 16h, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, o Carijó divulgou o início da venda de ingressos para as 9h desta sexta (15). Os bilhetes custarão R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

“Lógico que um jogo com uma grande equipe traz uma visibilidade diferente, mas acima de tudo temos que fazer o nosso trabalho e respeitar a equipe que a gente defende”, diz o goleiro Vilar (Foto: Fernando Priamo)

A comercialização antecipada, para carijós e cruzeirenses, ocorre em horário comercial na sede social alvinegra (Rua Calil Ahouagi, 332, Centro), no tradicional ponto de venda da Liga de Futebol de Juiz de Fora no Calçadão da Rua Halfeld (próximo ao Banco do Brasil, Centro) e também na loja Torcedor Esporte Clube (Galeria Pio X, 8 – Loja 40, Centro).No sábado, dia do jogo, os três pontos funcionam até as 12h. As bilheterias do Estádio Municipal serão abertas às 15h, mesmo horário do começo da entrada dos torcedores no palco do evento. Ao todo, 5 mil entradas serão vendidas.

A venda só inicia na véspera do confronto por conta das indefinições quanto ao dia e ao horário da partida. O Cruzeiro possuía duelo contra o Deportivo Lara-VEN pela Copa Libertadores na quarta (13), que acabou adiado, primeiro para quinta (14), em função de atraso no voo venezuelano devido à crise no país. Com esta notícia, a Federação Mineira de Futebol (FMF) optou por levar a partida em Juiz de Fora para o domingo (17), às 16h. Mesmo com a nova data do compromisso pelo torneio continental, o adversário celeste não conseguiu embarcar, o que obrigou a Conmebol a remarcar o jogo para o dia 27 de março, próxima quarta, às 21h30, no Mineirão. Com isso, o encontro no Estádio Mário Helênio voltou para este sábado.

‘Nos colocamos nessa situação’

Antes do treinamento desta quinta-feira (14), no Estádio Municipal, o goleiro Vilar, um dos jogadores mais experientes do elenco carijó, concedeu entrevista à imprensa e reiterou a necessidade de o grupo assumir a responsabilidade pela pior campanha desta edição do Mineiro, com apenas 4 pontos em nove rodadas.

O conteúdo continua após o anúncio

“Nós nos colocamos nessa situação. Temos dez partidas no ano e não conseguimos nenhuma vitória. Acredito que não jogamos o que todos esperavam e temos que assumir essa responsabilidade. E vestir essa camisa é uma oportunidade, independente se é contra Cruzeiro ou qualquer outra equipe. Lógico que um jogo com uma grande equipe traz uma visibilidade diferente, mas acima de tudo temos que fazer o nosso trabalho e respeitar a equipe que a gente defende”, analisa.

Ao mesmo tempo, o arqueiro de 33 anos tenta fazer com que a situação do clube não prejudique o rendimento dos mais jovens em campo contra o Cruzeiro. “Temos que passar tranquilidade para eles. Principalmente para a rapaziada que tem pouco lastro de jogo e em um momento como esse.

Para jogarem tranquilos, fazer o que realizam em treinamentos e tirar essa pressão para jogar o mais leve possível. A gente tem consciência de que o momento não é bom e que a pressão vai existir. Se a gente colocar para dentro de campo esse tipo de sentimento, aí que as coisas não vão fluir mesmo.”

Questionado sobre as indefinições sobre data e horário da partida, além da possibilidade, agora, do Cruzeiro vir com os titulares para Juiz de Fora, o camisa 1 do Galo se mostrou indiferente. “A questão das trocas de data, para mim, especificamente, não muda nada. E independente se é Cruzeiro A ou B, é o Cruzeiro que vem. Temos que respeitar dessa forma, independente do atleta que venha nos enfrentar, tem muita qualidade”, relata.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia