Tópicos em alta: cartas a jf / sergio moro / dengue / polícia

Tupi deixa a Série D com vitória sobre o Hercílio Luz e fim de jejum

Com 17 pagantes e sem Ademir Fonseca, Galo bate equipe catarinense por 2 a 0 no Estádio Municipal com gols de Washington e Samuel Cazares e põe fim a jejum de 309 dias

Por Bruno Kaehler

09/06/2019 às 20h04- Atualizada 09/06/2019 às 20h15

Quase como em um jogo de portões fechados, com exceção de algumas críticas dos poucos torcedores presentes no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio – 17 pagantes e 74 presentes (renda de R$ 300), o Tupi deu adeus a temporada com vitória de 2 a 0 sobre o Hercílio Luz (SC) pela última rodada da fase de grupos da Série D, com gols de Washington e Samuel Cazares, ambos do sub-20 alvinegro. Já eliminado, o Galo chegou aos 5 pontos na lanterna do grupo A14 e colocou fim a um jejum de triunfos que já durava 309 dias em 18 partidas.

O compromisso não contou com a presença do técnico Ademir Fonseca. Segundo o clube, o médico do treinador vetou o retorno do profissional para Juiz de Fora após semana de exames médicos no Rio de Janeiro. Desta forma, o auxiliar Tarso Guarino comandou o time. Esta também foi a despedida do massagista Adeil, desde 2008 no Galo, com acordo para trabalhar no time feminino do Palmeiras no segundo semestre.

As equipes

O Tupi iniciou a partida com Vilar; Pablo (Guilherme Canela), Matheus Mega, Arthur Sanches e Thiago Ryan; Thales Fernandes (Baiano),João Vitor e Pedrinho (Samuel Cazares); Washington, Hugo Rodrigues e Ademilson. Destes, Pablo, Mega, Thales e Washington ascenderam do sub-20.

Pelo lado adversário, o técnico Júlio César Nunes escalou o time com Paulo Sérgio; Thiago Machado (Rafael Sayão), Murilo, Carlão Farias e Vavá; Léo Costa (Arence), Rudnei e Juliano; Erick, Léo Bahia e Kayron (Juazeiro).

Cumprindo tabela, o Tupi conquistou a primeira e única vitória em toda a temporada (Foto: Luiz Felipe/Tupi FC)

Etapa movimentada     

O Hercílio Luz ameaçou pressão nos primeiros minutos de jogo com a posse de bola no campo de ataque. A primeira tentativa, no entanto, foi carijó em arremate rasteiro da entrada da área para fora de Hugo Rodrigues. Aos 9, Vilar trabalhou após Mega falhar na área defensiva e a bola sobrar para Léo Bahia, dentro da área, finalizar cruzado, por baixo e sem força.

O jogo era aberto e o Galo passou a criar as principais chances de gol. O meia Hugo assustou em duas finalizações de média distância para fora, mas a tentativa mais perigosa carijó veio aos 18, após jogada individual de Washington. Pedrinho recebeu e, da meia-lua, obrigou o arqueiro Paulo Sérgio a espalmar bola para tiro de canto.

O conteúdo continua após o anúncio

Antes do intervalo, Vilar ainda realizou grande defesa após finalização catarinense de dentro da área, e João Vitor quase marcou golaço em chute de fora da área em que a bola passou próxima do ângulo direito da meta rival.

Gols sob vaias e aplausos

Na volta dos vestiários sem alterações, os visitantes quase abriram o placar aos 5 minutos, em chute de Léo Bahia. No contra-ataque juiz-forano, contudo, Thiago Ryan cruzou para a área, Washington dominou e estufou as redes. O tento gerou uma mistura de reações na arquibancada. Enquanto alguns carijós aplaudiram, outra parte vaiou, em crítica ao momento do clube.

A partir do tento, o Hercílio Luz se lançou ao ataque. Aos 8, Juliano dividiu com zagueiro carijó na área e a bola acabou tocando a trave direita de Vilar. Pouco depois foi a vez de Léo Costa se aproveitar de falha de João Vitor e chutar rasteiro para defesa do goleiro do Tupi.

Tarso Guarino promoveu as três alterações em curto período de tempo, com as entradas de Guilherme Canela, Samuel Cazares e Baiano nas vagas de Pablo, Pedrinho e Thales. Do outro lado, Léo Costa e Kayron deram lugar a Juazeiro e Arence. Reativo, o Tupi não criava oportunidades, mas o tempo passava sem elevado sofrimento no setor defensivo.

Aos 36, Juazeiro, livre, finalizou da entrada da área por cima da meta carijó. Seis minutos depois foi a vez de Juliano arriscar em cobrança de falta, para defesa tranquila de Vilar. Pouco envolvente, o time visitante ainda cedeu espaços ao Tupi, que realizou tabela entre Ademilson e Washington, com o último passando para Samuel Cazares, da entrada da área, dar números finais ao confronto, com gritos da torcida de “fora Fortunas” e “time sem vergonha”.

Homenagem e despedida de Adeil

O clube, antes do duelo, agradeceu o massagista Adeil, apelidado por jogadores e torcida ao longo dos anos como o “melhor do Brasil”. O profissional que iniciou os trabalhos no Alvinegro ainda em 2008 deve seguir para a equipe feminina do Palmeiras, gerida pelo ex-Tupi e Tupynambás, Alberto Simão.

“O Tupi FC agradece ao nosso grande Adeil pelos serviços prestados ao clube nesses 12 anos. Desejamos boa sorte ao melhor do Brasil nessa nova jornada em um clube gigante no cenário nacional”, diz a nota carijó. No telão do Estádio, imagens do profissional foram mostradas, com os aplausos de atletas e comissão técnica no campo.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia