Tópicos em alta: polícia / campeonato mineiro / suzano / bolsonaro

Em 5 horas, JF registra 70% da chuva prevista para todo o mês de março

Pluviômetro instalado no campus da UFJF registrou 140 milímetros de precipitações, entre 19h de sábado (10) e 0h deste domingo (11), um dos maiores volumes dos últimos anos. Nível do Rio Paraibuna impressionou, e a água chegou a encostar na ponte sobre a Avenida Rio Branco.

Por Eduardo Valente

11/03/2018 às 01h32- Atualizada 11/03/2018 às 18h06

31 4 21 1
<
>
Ruas do Bairro Industrial ficaram alagadas. (Foto do leitor Erick Wagner)

Juiz de Fora enfrentou uma das maiores tempestades dos últimos anos, levando como base os registros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Entre 19h de sábado (10) e 0h deste domingo (11), o pluviômetro instalado no campus da UFJF registrou 140 milímetros de precipitações, índice que corresponde a 70% do previsto para todo o mês de março. Deste total, 90 milímetros caíram entre 21h e 22h.

Os pluviômetros do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) espalhados pela cidade também marcaram volumes significativos. Na Represa João Penido, o acumulado era de 62 milímetros até 1h deste domingo. Em seguida, aparecem os bairros Santa Rita (55 milímetros) e Nova Era (40 milímetros).

No Manoel Honório, o nível do Rio Paraibuna impressionou, e a água chegou a encostar na ponte da Avenida Rio Branco. (Foto: Câmeras de monitoramento do Infotrans/Settra)

Como resultado, até o início da madrugada de domingo, a cidade enfrentava vários pontos de alagamentos, em bairros como Jardim Esperança, Nova Era, Mariano Procópio e Democrata. Neste último, um carro ficou totalmente submerso na Rua Professora Violeta Santos. No auge da tempestade, o trânsito de veículos em direção ao Bairro Fábrica tornou-se impossível. No Manoel Honório, o nível do Rio Paraibuna impressionou, e a água chegou a encostar na ponte da Avenida Rio Branco. Já no Filgueiras, ruas ficaram alagadas e casas foram invadidas pela água.

 

Plano de Contingenciamento

Em nota na manhã deste domingo (11), a Defesa Civil informou que foi ativado o Plano de Contingenciamento, e equipes do órgão, além da Secretaria de Obras, Demlurb, Settra e Cesama trabalham deste as primeiras horas da madrugada para minimizar os transtornos causados pela forte chuva. Até a tarde deste domingo, a Defesa Civil registrou 59 ocorrências, sendo 20 na região Sudeste, 13 na Norte, 11 na Leste, 8 na Nordeste, 4 na Oeste, 2 no Centro e 1 na Sul.

Os atendimentos estão relacionados a deslizamentos de taludes, ameaças de deslizamentos de taludes, trincas em piso, ameaças de queda de árvore, infiltração em piso, enxurradas, alagamentos, rua danificada e queda de árvore.

Nas estradas vicinais de Caeté e Torreões, houve queda de barreiras, a mesma situação enfrentada pela população do Bairro Retiro, região Sudeste. Já na Rua Orlando Stefani, Bairro Bela Aurora, Zona Sul, uma ameaça de deslizamento de talude fez uma família ser desalojada da própria casa.

Entre os alagamentos de destaque, a Defesa Civil citou os ocorridos na Rua Henrique Dias, no bairro Nova Benfica, Zona Norte; nas ruas Eurico de Melo e Bárbara Campagnacci Borboni, no Bairro Aracy, na região Sudeste; e na Rua Domingos Del Duca, no Nossa Senhora de Lourdes, também na região Sudeste. Também houve escorregamentos de talude nas Ruas Pedro Trogo, e Francisco Pereira, ambas no Santo Antônio; e na Rua Angelino Beligoli, no Filgueiras.

Outros alagamentos ocorreram nos bairros Santa Luzia, Terras Altas, Jardim Esperança, Linhares e Granbery, além de Nova Era, Democrata e Mariano Procópio, como a Tribuna já havia mencionado.

Na Cidade Alta, a Rua José Lourenço, próximo ao Borboleta, um barranco deslizou sobre a via, que ficou tomada pela lama. Na manhã deste domingo, máquinas faziam a retirada de parte da terra. Um sofá foi colocado no meio da pista.

a1 aaa aa
<
>
Deslizamento atingiu trecho da Rua José Lourenço, na altura do Bairro Borboleta. (Foto: Eduardo valente)

Secretaria de Obras

A Secretaria de Obras (SO) está atendendo a ocorrências de quedas de barreiras na Estrada da Lagoa e também no trecho asfaltado do entroncamento para Torreões. Outra equipe da SO está avaliando a situação de outra queda de barreira em Sarandira. Além disso, na Rua Rosalina Praxedes de Albuquerque, no Cesário Alvim a via foi interditada totalmente pela Settra a pedido da Defesa Civil devido a um deslizamento de barranco. A Settra também sinalizou um afundamento de calçada, na Rua Diva Garcia, próximo ao córrego, no Linhares.

 

Demlurb

O conteúdo continua após o anúncio

O Demlurb atendeu áreas emergenciais e centrais, em razão de serem vias de grande movimentação. Equipes realizaram a limpeza da barreira que caiu no bairro Borboleta e no São Pedro. No Bairro Jardim Esperança, o departamento atua com o serviço de lavação e também de recolhimento de materiais nas vias, danificadas pelas fortes chuvas e, nas ruas centrais, foi efetuada a varrição e retirada do barro. Outras demandas serão atendidas através de um planejamento de trabalho estratégico e especial para a ocasião.

 

Cesama

De acordo com a Cesama, duas elevatórias de água foram atingidas pelas chuvas. A elevatória do bairro Democrata foi inundada, e a Cesama está realizando a substituição do motor da unidade. O abastecimento foi interrompido. A previsão é de que fornecimento de água seja regularizado durante a tarde deste domingo.

Na elevatória do JK, entrou água no quadro elétrico de comando da bomba. Empregados da companhia estão realizando os reparos, e a unidade está parada. A previsão é de que o abastecimento seja retomado também durante a tarde de domingo.

As equipes da Cesama foram empenhadas ainda em reparos de redes de esgoto rompidas e entupidas. Os casos onde há risco estão sendo priorizados. Os atendimentos estão sendo feitos por meio do teleatendimento da companhia, pelo telefone 115.

 

Cidades da região também sofrem com chuvas fortes

O município de Ubá, a cerca de 110 quilômetros de Juiz de Fora, ficou alagado após fortes chuvas que atingiram especialmente a região das cabeceiras do Ribeirão Ubá, na noite deste sábado (10). Por meio de nota enviada pela Defesa Civil, a Prefeitura de Ubá informou que esta pode ser a maior enchente dos últimos 30 anos na cidade de pouco mais de cem mil habitantes. O Executivo informou que acionou o plano de contingência da Defesa Civil e, desde as 21h, está mobilizado em um Gabinete de Crise que reúne representantes da Prefeitura, da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

A Prefeitura disponibilizou um ponto de coleta de donativos no Fórum Cultural (Praça São Januário). As aulas da rede municipal estarão suspensas nesta segunda-feira e retornam na terça-feira. Também foram adiadas a abertura dos Jogos Escolares Ubaenses (JEUS) e o início das coletas de materiais da Gincana Ambiental.

Em Ubá, diversas ruas ficaram debaixo d’água na noite deste sábado. A foto mostra ruas do Bairro Jardim Glória, próximo ao Centro. (Foto do leitor Cristiano Barros)

Na BR-265, uma ponte caiu no trecho entre as cidades de Lavras e São João del-Rei. A queda aconteceu na altura do trevo de Nazareno e impede totalmente a passagem de veículos.

Ponte caiu no trecho da BR-265, entre as cidades de Lavras e São João del-Rei. (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Conforme o Cemaden, a chuva assusta diversos municípios de Minas Gerais desde a noite de sábado. Em Ervália, o acumulado até 1h deste domingo era de 100 milímetros, enquanto que, em Divinésia, a 16 quilômetros de Ubá, 96 milímetros. Neste município, a Avenida Dias Paes, a principal da cidade, chegou a ficar totalmente coberta pela água.

Além dessas cidades, o Cemaden marca como alerta vermelho, ainda, os municípios de Passa-Vinte, Tiradentes, Rochedo de Minas e Simão Pereira. Outros destaques, com acumulados superiores a 50 milímetros, são as cidades de Santos Dumont, Itabira, Além Paraíba, Ubá, Barbacena e Visconde do Rio Branco.

 

BR-040

Conforme a Concer, concessionária que administra o trecho da BR-040 entre Rio de Janeiro e Juiz de Fora, a subida da Serra de Petrópolis opera em meia pista na altura do km 100, em Caxias, no sentido JF, em razão de uma queda de barreira provocada pelo temporal de sábado à noite na região.

O trecho está sinalizado e exige atenção redobrada dos motoristas. No acesso à localidade do Barreiro, em Xerém, Caxias (km 101, sentido JF), outro deslizamento de menor porte também deixou esse trecho da rodovia parcialmente interditado.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia