Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Comida de bar: Bolinho de costela para fazer em casa

Natália Medeiros ensina receita que é uma ótima pedida para o fim de semana


Por Cecília Itaborahy, estagiária sob supervisão da editora Isabel Pequeno

23/07/2021 às 07h00- Atualizada 23/07/2021 às 10h56

bolinho de costela
Natália e a mãe Cláudia comandam a cozinha do Gentileza
bolinho de costela
Bolinho de costela mistura cheiros e sabores variados

O mais legal da cozinha, além de ouvir aquilo que os outros comentam sobre a comida, principalmente quando são elogios, é inventar. Natália Medeiros, depois de puxar um pouco na memória, lembra que, quando mais nova, por ser a irmã mais velha de sete irmãos, “se virava com o que tinha na geladeira” para ajudar a mãe, que trabalhava fora. Na verdade, esse gosto pela culinária tem um pouco a ver com o avô, que tem um buffet, onde sua mãe também o auxiliava nos preparativos. Não à toa, Natália fala, frequentemente, que a coxinha de sua mãe é a melhor do mundo. Inclusive, essa receita da coxinha, ela nunca soube fazer. Via a mãe fazendo, mas não aprendia. Até que, agora, na cozinha do restaurante Gentileza, ela, finalmente, aprendeu, de tanto que testou para inventar novas coisas com base nessa massa. A que ela ensina hoje acaba tendo a mistura de tudo isso: é o Bolinho de Costela, comida de bar mesmo.

Natália busca diferentes referências. Quando gosta do sabor e de toda a experiência que envolve sentir um gosto novo, ela tenta recriar a receita em casa, porque acaba tendo vontade de experimentar e comer o prato mais uma vez, para perdurar essa sensação. Ela diz que se prestar bastante atenção na aparência, com uma foto mesmo, e sentir bem todos os ingredientes, consegue chegar no ponto esperado e, mesmo com os erros que costumam aparecer, aos poucos, dá certo. Daí veio a ideia de inserir no cardápio essas experiências. “Se a gente gosta, as pessoas também vão gostar”, garante.

Agora, com mais espaço, cheio de panelas e ingredientes, a cozinha do Gentileza é o seu laboratório. E Natália está retomando aos poucos, pensando em seus próximos passos, sempre com o apoio da mãe, Cláudia, e do marido, Thiago. Ela ainda afirma ser viciada em reality show de culinária, onde acaba aprendendo ainda mais. Mas sobre a atuação do cozinheiro em si, ela pontua: “as pessoas têm relacionado a cozinha ao glamour. Não é assim. Esse glamour não existe. A gente sempre se corta, machuca, é muito fogo, não pode pintar a unha. Quem está dentro da cozinha, é por amor mesmo.” E completa: “Receita é muito cópia, mas, mesmo se não for a minha, eu sinto que o prato é meu, porque não faço tudo igual.” Isso acaba sendo também um incentivo para o leitor fazer como ela: pegar a receita do Bolinho de Costela e inventar.

Bolinho de costela

Ingredientes

2,5kg de costela de boi com osso
Meio quilo de mandioca
150g de requeijão cremoso
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite
4 sachês de caldo de costela
2 cebolas médias
6 dentes de alho
1 pimenta dedo de moça sem semente
1 ramo de tomilho
1 folha de louro
Sal salsinha e cebolinha a gosto
Farinha de rosca para empanar
300ml de molho de alho
Farinha panko para empanar
Óleo para fritar

Modo de preparo

O conteúdo continua após o anúncio

Em uma panela de pressão, coloque toda a costela com 3 sachês de tempero pronto “caldo de costela”, a folha de louro e o tomilho, com água suficiente para cobrir toda a carne. Quando pegar pressão, abaixe o fogo e deixe cozinhar por cerca de uma hora, ou até que a carne esteja macia, soltando do osso e desfiando.

Descasque e corte a mandioca em pedaços, corte o alho, a cebola, o cheiro-verde e a pimenta em pedacinhos bem pequenos. Retire a carne da panela e deixe esfriar um pouco. Reserve a água do cozimento da costela (retire o louro e o tomilho) e coloque a mandioca na mesma panela e cozinhe por cerca de 15 a 20 minutos, até que esteja bem molinha a ponto de amassar.

Desfie toda a costela com as mãos. Com a mandioca cozida, escorra a água e passe em um espremedor de batatas, para que fique como um purê. Em uma panela, adicione a manteiga e o azeite e refogue o alho, a cebola e a pimenta. Abaixe o fogo, adicione o último sachê de caldo de costela, a carne desfiada, o requeijão e o cheiro-verde e misture muito bem todos os ingredientes até que fiquem bem incorporados e vá adicionando a mandioca amassada aos poucos, até formar uma massa cremosa, mas não muito mole, para que se possa enrolar os bolinhos. Experimente e corrija o sal.

Aguarde esfriar, passe o azeite nas mãos e faça bolinhas. Passe na farinha de rosca, no molho de alho e em seguida na farinha panko. Frite em óleo quente e sirva em seguida.

Dicas
– Caso queira congelar para guardar, passe somente na farinha de rosca e congele. Quando for fritar, coloque um minutinho no micro-ondas, passe no molho de alho e na farinha panko e frite.

– Vai muito bem com geleia de pimenta ou barbecue de goiabada.

Leia também: Aprenda a fazer o típico caruru da premiada baiana Dione

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia