Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Governo de Minas vai investir R$ 600 milhões para recuperar perdas; até geladeiras serão doadas aos mais carentes

Por Paulo Cesar Magella

18/01/2022 às 11h59 - Atualizada 18/01/2022 às 12h00

Em isolamento, após ter testado positivo para Covid, o governador Romeu Zema, em entrevista virtual, anunciou a liberação de recursos, da ordem de R$ 600 milhões, para enfrentamento ao caos que se instalou em alguns municípios mineiros em razão dos temporais. No detalhamento, o secretário-geral, Mateus Simões, que também estou positivo para covid, explicou que os investimentos, que sairão do tesouro do Estado, serão divididos em três eixos: auxílio às pessoas, apoio às cidades e infraestrutura estadual. Há espaço para um quarto eixo, que envolveria doações da sociedade civil, com suporte logístico do estado.

O conteúdo continua após o anúncio

Desabrigados e desalojados terão direito a benefício emergencial

Foi estabelecido o pagamento de benefício emergencial aos desabrigados e desalojados da ordem de R$ 1.200,divididos em três parcelas mensais de R$ 400. O repasse estadual será feito aos municípios que poderão utilizá-los de acordo com a necessidade da população atingida. Caberá, então, às prefeituras definir o tipo de benefício a ser ofertado, como aluguel, cesta básica, transferência direta dos recursos ou compra de móveis e colchões, eletrodomésticos e itens de higiene, conforme a realidade local de cada cidade.

Cemig fará a doação de 5 mil geladeiras aos mais carentes

A Cemig fará a doação de cinco mil geladeiras, que serão distribuídas de forma proporcional ao número de famílias de baixa renda de municípios em situação de emergência ou de calamidade pública e que tenham Índice de Desenvolvimento Humano menor que 0,6. O BDMG também vai facilitar o crédito para micro e pequenas empresas.

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia