Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Mesa composta: é tempo de brunch time

A nova tendência no universo das decorações

Por Luiz Henrique Duarte

17/10/2021 às 07h00 - Atualizada 15/10/2021 às 17h13

Os olhares voltaram-se para os itens que antes eram deixados em segundo plano e consequentemente a criatividade começou a ditar novas regras de etiqueta para descomplicar a vida. O brunch time é uma refeição servida entre o café da manhã e o almoço. É a tendência no décor para as mesas. O que antes era sinônimo de requinte, hoje caiu na praticidade. A quarentena permitiu que as pessoas permanecessem mais tempo em casa e aprimorassem os detalhes para montar uma mesa composta. Aliás, o termo “mesa posta” já abriu caminho para o novo nome.

Os momentos à mesa são importantes para estreitar os laços familiares, valorizando a boa conversa e convívio. Uma dica é investir em porcelanas e peças neutras para conseguir mais combinações, alternando apenas os jogos americanos, passadeiras, toalhas e sousplats. As “peças handmade”, que são os detalhes feitos à mão, vieram para ficar, pois dão um toque artesanal à mesa composta. A mistura de texturas nos detalhes que serão utilizados como crochê, fibras naturais, linho e materiais dos aparelhos de serviço e acessórios ornamentais, como cerâmica, cristal e vidro criam uma atmosfera descontraída e casual sem perder a sofisticação informal.

Seguindo as tendências da moda, o tie dye viralizou e está com tudo nos guardanapos, como as estampas em geral. E para os arranjos, a aposta segue para “o faça você mesmo”, com flores naturais ou desidratadas, bouquets de ervas aromáticas como a hortelã, que é uma planta que exala um aroma mais envolvente, forte e picante. As frutas exóticas como o cacau mostram a brasilidade devido aos tons tropicais, mas você pode optar por qualquer fruta durável e perfumada. O importante é o toque brasileiro. Os talheres neutros, são fáceis de combinar e fazem a diferença, caminham bem em qualquer estilo de proposta, desde a clean minimalista até uma mesa composta mais colorida. Use peças de família e saiba descomplicar na arte de compor!

O conteúdo continua após o anúncio

Ficha técnica:

Fotos: Casa Arrumada
Produção e Styling: Geórgia Vidal e Luiz Henrique Duarte
Roupa de mesa: Leniane Feyo Baggio

Giro do design:

– A marcenaria artesanal do Ateliê Dobradiça, pilotada pelo designer Guto Alcântara, está decorando os principais ambientes assinados por arquitetos. As tábuas e estações de trabalho em madeira fazem parte da decoração da bem montada cozinha da jornalista
Claudinha Figueiredo, onde ela prepara os ingredientes para as suas receitas saborosas.
– O designer floral Jab Pasollini assinou a decoração do altar central no Santuário Nacional de Aparecida e Tribuna das Bênçãos e Terços. Segue a tendência dos arranjos que viraram hit nos anos 90 em versão 2021: samambaias americanas, crisântemos bola belga e as clássicas rosas cor-de-rosa e vermelhas.
– Os ambientes aconchegantes, bem distribuídos e integrados, valorizam a praticidade e bem-estar. A empresária e corretora de imóveis Solange Caiaffa mostrou em suas redes sociais a fase de acabamento do projeto, em sua visita à Akza 150 do Alphaville Juiz de Fora.
– A Coleção Mar, leia-se “Le Lis Blanc Casa”, valoriza a mesa e está apaixonante, devido às cores e formas que nos guiam a uma atmosfera entre a areia e as ondas do mar. A combinação clássica do azul e branco em cada peça é feita artesanalmente na Serra da Capivara, no Piauí, como parte do projeto. Está disponível no bem montado espaço que une moda e design no Independência Shopping.

Luiz Henrique Duarte

Luiz Henrique Duarte

Sou bacharel em direto, designer de interiores graduado, jornalista apaixonado por arte clássica e contemporânea, arquitetura e tudo relacionado à estética espacial dos ambientes e do bem viver.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia