Imobiliárias de JF aumentam comissão de venda para 6%

Reajuste da tabela será padrão para as 47 empresas associadas

Por Tribuna

07/12/2017 às 09h49

As imobiliárias de Juiz de Fora irão aumentar o percentual da comissão da venda de imóveis de 5% para 6% a partir deste mês de dezembro. De acordo com a Associação Juiz-forana de Administradoras de Imóveis (Ajadi), o reajuste da tabela será padrão para as 47 empresas associadas. O aumento se dá em cumprimento à orientação do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Minas Gerais (Creci-MG), que estabelece que a comissão de corretagem seja de 6% a 8%. “Não seguir esse direcionamento é uma transgressão ao código de ética dos profissionais da área”, afirma o vice-presidente da Ajadi, Diogo Souza Gomes.

Segundo ele, algumas empresas da cidade já seguem a orientação do Creci-MG há algum tempo, mas a partir deste mês o percentual se torna prática obrigatória. A decisão foi tomada em consenso pelas imobiliárias durante reuniões realizadas pela Ajadi ao longo do ano. “São muitos os motivos que estimularam essa mudança, que demandou muito estudo e análise da associação. O principal deles está no fato de que essa tabela, em Juiz de Fora, estava congelada há mais de 30 anos, sem sofrer alterações e reajustes.”

Para ele, a expectativa é que a nova taxa incentive a qualidade na prestação dos serviços imobiliários e traga impactos positivos para as vendas de imóveis com menor liquidez. “É possível que mais investimentos em marketing e capacitações aconteçam a fim de que resultem em vendas ainda mais rápidas.”

O conteúdo continua após o anúncio

Comissão
A comissão da venda é o valor pago aos corretores de imóveis responsáveis pela transação. Quando a venda é feita por imobiliária, os honorários são divididos entre a empresa, o gerente, o corretor do imóvel (conhecido como captador) e corretor do comprador (que é quem fez a venda). O responsável pelo pagamento da comissão é quem vende o imóvel, podendo ser pessoa física ou jurídica.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia