Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / lockdown / vacina / polícia / obituário

Desafio solidário leva professores a pedalarem 290 km de JF a Aparecida em 24 horas

Com prendas por metas, iniciativa “Pedal da Fé” busca a doação de uma tonelada de alimentos para instituições do município


Por Mariana Floriano, estagiária sob a supervisão do editor Bruno Kaehler

06/04/2021 às 16h09- Atualizada 06/04/2021 às 16h10

Um desafio que nasceu nos pedais com o objetivo de ajudar o próximo. Foi isso o que motivou os professores Paulo Oliveira e Bruno Monteiro a percorrerem os 290 quilômetros de Juiz de Fora a Aparecida do Norte, na última sexta-feira (2), ao lado também dos amigos Lucas Almeida, Rafael Freitas e Carlos Fabiano. O “Desafio Pedal da Fé”, como foi intitulado, teve o objetivo de arrecadar alimentos que serão doados a instituições de caridade da cidade.

A meta é obter uma tonelada de alimentos até esta quarta-feira (7). A princípio, eles serão doados a três instituições da cidade: a Fundação Ricardo Moysés, a Ascomcer, e o Abrigo Santa Helena. De acordo com Paulo, caso o desafio ultrapasse o objetivo inicial, outras instituições poderão ser contempladas. Para os interessados em ajudar, basta fazer contato por meio do Instagram do Desafio da Fé (@desafiodafebp), ou pelo perfil pessoal dos professores Paulo (@paulim.oliveira2) e Bruno (@brunomonteiropersonal). Os alimentos serão entregues às instituições na próxima sexta-feira (9).

Dos hábitos à solidariedade

Foi em cima da bicicleta que a ideia tomou forma. O hábito, que ganhou força na pandemia, motivou os amigos, ambos professores de Educação Física, a transformarem o hobby em algo maior. “Eu e Bruno estávamos no meio do pedal quando decidimos lançar um desafio. Nós começamos a pensar no que a gente podia fazer para ajudar as pessoas nessa situação difícil que estamos vivendo. Foi aí que a gente pensou em fazer o trajeto para Aparecida, e lançar o desafio da arrecadação de alimentos”, recorda Paulo.

A cidade do interior de São Paulo fica a 290 quilômetros de Juiz de Fora, em um percurso que, segundo Paulo, as pessoas costumam realizar em três dias. “Eu tenho o costume de ir todo ano a Aparecida, para agradecer, porque eu sou católico. A escolha de ir para lá foi de cunho religioso, mas também por ser um trajeto legal, que muitas pessoas fazem. Então nós decidimos lançar o desafio de cumprir esse trajeto, pedalando dia e noite, para chegar lá em 24 horas”.

A principal dificuldade foi a parte física, e, por isso, os professores treinaram intensamente desde janeiro. A programação teve início às 12h, com um descanso por volta das 22h na cidade de Porto Real, de cerca de cinco horas. Em plena madrugada, o pedal foi reiniciado, com chegada em Aparecida na manhã de sábado.

Ver essa foto no Instagram

 

O conteúdo continua após o anúncio

Uma publicação compartilhada por Pedal da Fé (@desafiodafebp)

Campanha tem prendas e aulão

A arrecadação de alimentos aconteceu através das redes sociais, pelo Instagram “Pedal da Fé” (@desafiodafebp). Lá, os amigos estabeleceram metas e divulgaram o andamento do projeto. O “Doadômetro Pedal da Fé”, postado no perfil, estabelecia metas a serem batidas e, consequentemente, prendas que Paulo e Bruno deveriam cumprir. Entre elas estava a doação de sangue, que deveria ser feita ao atingirem os 250kg arrecadados. Com 50% do objetivo concluído, deveriam doar R$ 300,00 em chocolates para instituições na Páscoa. Já na marca de 750kg, o desafio seria pintar o cabelo. A meta final, última pendente, se arrecadada a tonelada prevista, é que os professores raspem a cabeça. Até a última contagem, conforme os organizadores, 920kg já haviam sido obtidos.

Além dessa iniciativa, os amigos também realizaram outras movimentações, como um aulão de bike, no qual os alunos participavam da arrecadação de alimentos para o desafio. “Nós queríamos ter organizado mais eventos, porém fomos impedidos pela questão da pandemia. Esse aulão foi muito bacana, nós conseguimos arrecadar quase 200kg de alimento”, afirma Paulo.

Sucesso e emoção na conclusão do trajeto

Nesta segunda-feira (5), com o desafio já cumprido, o professor Paulo Oliveira recordou a experiência que não deixou de ter percalços. “Conseguimos concluir com sucesso nosso objetivo, e em menos de 24 horas. Foram dois tombos e dois pneus furados, contratempos que a gente já esperava, estávamos preparados. Mas como um todo, o saldo foi muito positivo. O objetivo principal era a arrecadação de alimentos e acredito que vamos conseguir bater a nossa meta de uma tonelada. O pedal foi a cereja do bolo. Foi tudo positivo demais, deu muito certo”, comemorou.

Além de Paulo e Bruno, os outros três amigos que embarcaram na aventura também fora amparados durante o trajeto por um carro de apoio, preparado para atender a quaisquer diversidades e necessidades. A maior dificuldade, segundo o professor Paulo, foi a parte noturna, que reuniu a tensão de pedalar à noite e com o cansaço físico. “Durante a noite nós pegamos uma estrada de chão e foi bem puxado. O corpo já estava cansado e a parte mental já querendo chegar no primeiro descanso”.

E depois de tantas horas de estrada, a chegada na cidade de Aparecida foi repleta de emoção e agradecimento. “A primeira coisa que a gente fez foi tirar uma foto em frente a Basílica, como um objetivo concluído, a sensação de dever cumprido, de uma batalha vencida. A gente nem quis sentar nem nada, já fomos logo tirar a foto e registrar esse momento”.

Os 290 km foram concluídos em menos de 24 horas pelos participantes do desafio (Foto: Arquivo Pessoal)

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia