Secretaria de Estado responde reivindicação de trabalhadores

Grupo oficializou uma série de situações consideradas abusivas

Por Renan Ribeiro

11/01/2018 às 21h34

A Secretaria de Estado da Educação se manifestou após a entrega de um ofício de trabalhadores da educação à Superintendência Regional de Ensino ocorrida nessa quarta-feira (10). Umas das principais críticas do grupo, sobre o adiamento da volta às aulas, foi justificado como um esforço para otimizar os processos de distribuição de turmas e cargos nas escolas e outras medidas necessárias para garantir um início das atividades com mais tranquilidade nas unidades escolares, sem a interrupção que ocorreria com o recesso de carnaval, sem nenhum prejuízo no cumprimento dos 200 dias letivos e da carga horária anual dos estudantes. Sobre o pagamento dos trabalhadores contratados do valor relativo à metade do mês trabalhado, a secretaria afirmou que os profissionais serão pagos normalmente pelo exercício que constar em seus contratos.

Sobre a falta de concursos, a SES explicou que há autorização para realização de certame para o provimento de 16 mil vagas para o cargo de professor de educação básica regente de aula (professores de disciplinas) e 700 vagas para o cargo de especialista em educação básica. As vagas vão abarcar todas as 47 Superintendências Regionais de Ensino do Estado. O edital, inclusive, já foi publicado. Mas os trabalhadores citaram que, em um universo confirmado pelo estado de mais de 100 mil contratos, o número de vagas disponibilizado fica aquém das expectativas da classe.

O Diário Escolar Digital (DED), que reuniu uma série de reclamações em relação à estrutura das escolas, realmente apresentou situações de lentidão e inconsistências, devido ao número de acessos e lançamentos no fim do ano letivo. “Os problemas foram atendidos pela equipe técnica da SEE e da Prodemge, pontualmente, para garantir o pleno funcionamento da plataforma em todo o Estado. Para 2018, estão previstas melhorias no sistema, além da disponibilização de perfil para os estudantes/responsáveis; disponibilização da funcionalidade de compartilhamento de materiais pelo professor e comunicados para uso interno das escolas; dentre outros serviços”, ressaltou a nota.

O conteúdo continua após o anúncio

A SES também afirmou que o Governo cumpriu o acordo assinado com a categoria em 2015. “Os reajustes salariais concedidos por esta gestão do Governo do Estado representam um aumento de 46,75% na remuneração dos professores da rede estadual.O Governo de Minas Gerais reitera também que está em constante diálogo com os representantes dos trabalhadores da Educação. A Superintendência Regional de Ensino de Juiz de Fora se colocou à disposição e irá receber representantes do Sindicato regional na próxima semana.”

 

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia