Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Duas chapas disputam eleições da OAB Subseção de Juiz de Fora neste sábado

Votação decide diretoria que ficará à frente da Subseção de Juiz de Fora e Seccional de Minas Gerais no próximo triênio de 2022 a 2024


Por Tribuna

25/11/2021 às 17h05

No próximo sábado (27), advogados e advogadas de Juiz de Fora votam para escolher a nova diretoria da OAB Subseção de Juiz de Fora e Seccional de Minas Gerais. A eleição decide a chapa que irá comandar a Subseção de Juiz de Fora no próximo triênio, de 2022 a 2024, assim como os integrantes da diretoria, conselho seccional, diretoria da caixa de assistência, conselheiros federais e suplentes do estado de Minas. A votação ocorre das 8h às 17h no Fórum Benjamin Colucci, na Rua Marechal Deodoro, no Centro.

Em Juiz de Fora, as duas chapas que estão na disputa são “Uma OAB de todos”, com o número 10041, e “Uma OAB presente, como deve ser”, com o número 10042. Já para a Seccional do estado são quatro chapas: a “Nossa OAB”, número 11, “Pela Ordem”, número 22, “Renova OAB”, número 33, e “OAB de cara nova”, número 44.

O conteúdo continua após o anúncio

O voto é obrigatório para todos os advogados que estão com as anuidades em dia. Segundo a OAB/JF, os eleitores que deixarem de votar estarão sujeitos a multa equivalente a 20% do valor da anuidade, salvo ausência justificada por escrito que será avaliada. A justificativa para ausência ao voto poderá ser protocolada em até 60 dias, e o formulário ficará disponível na Seccional de Juiz de Fora.

Outras informações sobre as propostas de cada chapa podem ser conferidas no site da OAB, na área intitulada consulta chapas.

A OAB/JF afirma que, por conta da pandemia da Covid-19, não será permitida a permanência no prédio do Fórum. O eleitor deverá votar, de preferência sem acompanhante, evitando aglomerações. Na entrada do prédio, ele receberá um cartão de acesso que deverá ser devolvido na saída.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia