Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Estudantes fundam organização Engenheiros Sem Fronteiras em JF


Por Tribuna

17/05/2013 às 17h40

Juiz de Fora passa a contar, a partir desta sexta-feira (17), com um núcleo da organização internacional Engenheiros Sem Fronteiras (ESF). A ONG segue o molde de outras do tipo, chamadas "sem fronteiras", como a dos médicos. No caso dos engenheiros, o objetivo é desenvolver projetos de engenharia e arquitetura de forma a beneficiar comunidades menos favorecidas da cidade e região. A assembleia de fundação da ESF acontece às 19h desta sexta, no Anfiteatro I do Prédio Itamar Franco, na Faculdade de Engenharia da UFJF. "A iniciativa surgiu em janeiro, com alguns alunos de engenharia. Fizemos uma visita à ONG de Viçosa e, a partir daí, passamos a desenvolver uma com diretoria provisória para captar os primeiros projetos", explica a presidente da organização, Tamiris Aparecida de Almeida, 25 anos, estudante do 7º período do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFJF.

A Engenheiros Sem Fronteiras já nasce com três projetos. Dois deles pretendem beneficiar o Instituto Dom Orione, em Juiz de Fora, com a reforma de um galpão que vai abrigar diversos serviços à comunidade atendida e com a implementação de uma oficina de brinquedos recicláveis. Outra proposta prevê uma parceria com a ONG Onda Solidária para a construção de um centro comunitário ecologicamente correto em Santana do Deserto.

O conteúdo continua após o anúncio

"A Faculdade de Engenharia da UFJF já está nos apoiando, inclusive cedendo uma sala para ser nossa sede. Nossa meta agora é conseguir patrocínios de empresas de Juiz de Fora e região e apoio também da Pró-reitoria de Extensão da UFJF para a oferta de bolsas aos estudantes envolvidos", diz Tamiris.

A organização surgiu na década de 1980 e, desde então, tem se difundido pelo mundo, atingindo hoje mais de 40 países. A intenção é demonstrar que o engenheiro é capaz de promover transformações em busca do desenvolvimento social, econômico e sustentável da sociedade. A organização funciona no Brasil com base no sistema de núcleos, com gerência nacional que coordena as atividades dos mesmos, localizada em Viçosa. Embora seja obrigatório que os membros da diretoria estejam cursando engenharia, colaboradores podem ser de qualquer curso, instituição, até mesmo já graduados, e pessoas da comunidade em geral.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia