Tópicos em alta: polícia / campeonato mineiro / suzano / bolsonaro

Juiz-foranos cobram respostas pelos assassinatos de Marielle e Anderson

Ao som do samba-enredo da Mangueira, centenas de pessoas participaram de ato no Centro de JF

Por Tribuna

14/03/2019 às 20h27

Manifestantes desceram em vigília, com velas, rumo à Praça da Estação (Foto: Roberta Heluey)

“Brasil, chegou a vez de ouvir as Marias, Mahins, Marielles, malês”, cantava em coro as centenas de pessoas presentes no ato Um Ano Sem Respostas: Marielle Vive, que se concentrou na noite desta quinta-feira (14), no Calçadão da Rua Haldelfd. O trecho é parte do samba-enredo da Mangueira, escola de samba do Rio de Janeiro que, neste carnaval, prestou homenagem à ex-vereadora (PSOL), executada a tiros há um ano na capital fluminense. O samba também deu o tom para a mensagem dos manifestantes juiz-foranos, que desceram em vigília, com velas, rumo à Praça da Estação.

O conteúdo continua após o anúncio

Em memória à Marielle e ao seu motorista Anderson Gomes, também assassinado há um ano, os integrantes do ato cobraram por justiça e por respostas ao crime que chocou o Brasil e teve repercussão internacional. Além dos protestos, falas de indignação e cobranças, os presentes também presenciaram manifestações culturais e artísticas de diversos grupos da cidade.

Participaram do ato o bloco Maracatu Estrela na Mata, o grupo Remiwl, o coletivo Las Manas, as poetas Duda Masiero e Laura Conceição, a cantora Mc Xuxu, entre outros.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia