Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Serviço para avaliação de alunos com deficiência é implementado pela PJF

Projeto oferece atendimento especializado para estudantes com deficiência na rede municipal; serviço vai começar nas próximas semanas 


Por Tribuna

05/08/2022 às 18h24

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) anunciou que vai entregar em breve o Serviço Especializado de Avaliação Multidisciplinar em Transtorno do Neurodesenvolvimento (Seam) para o município. O anúncio foi realizado nesta quinta-feira (4), e o projeto inédito visa realizar atendimento especializado na avaliação de casos dos alunos com deficiência matriculados na rede municipal de ensino por meio de uma junta médica, o que dá mais qualidade ao processo. 

A notícia foi dada pela prefeita Margarida Salomão em uma visita à sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), instituição conveniada à Prefeitura onde serão realizadas as avaliações. “Essa deve ser uma cidade de direitos. Direitos de cada um e cada uma, seja como for. Direito à plenitude, à vida social completa. Nós vamos garantir uma oportunidade de desenvolvimento completo, não apenas pela matéria, mas pela possibilidade de transformação de si mesmo”.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo o secretário de Saúde, Ivan Chebli, o serviço terá papel importante “para garantir uma atenção integral, não só para fazer diagnóstico, mas garantir tratamento e acompanhamento multidisciplinar para as crianças com deficiência intelectual e dificuldade de aprendizado”.    

Na visão da secretária de Educação, Nádia Ribas, “esse é um projeto inédito que estamos iniciando. É um marco para nossa cidade, para a educação, para as pessoas com deficiência do município. É o nosso compromisso com o desenvolvimento pleno do ser humano”.

Participam da iniciativa as secretarias de Saúde, Educação e Recursos Humanos. Um decreto será publicado pela PJF implementando o serviço, que começa a funcionar nas próximas semanas.

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia