Tópicos em alta: delivery jf / eleições 2020 / coronavírus / blogs e colunas / obituário / polícia

Dívida pública

Por Paulo Cesar Magella

22/10/2020 às 07h00 - Atualizada 21/10/2020 às 20h58

Em audiência, nessa quarta-feira, na Assembleia, o subsecretário de Planejamento de Minas, Felipe Magno Parreira de Sousa, admitiu que a dívida pública de Minas cresceu 24% entre 2018 e 2020. Ele disse que a dívida consolidada líquida em 2018 era de cerca de R$ 106 bilhões. Em 2019, estava em torno de R$ 122 bilhões e, até agosto deste ano, estava em R$ 132 bilhões. Tanto o subsecretário Felipe Parreiras quanto o subsecretário do Tesouro Estadual da Secretaria de Estado de Fazenda (SEF), Fábio Amaral de Assunção, ressaltaram que a única forma de fazer frente a essa situação é o Estado aderir ao plano de recuperação fiscal do Governo federal. E aí há resistência da Assembleia, pois a adesão significa cumprir metas do Ministério da Economia, que exige, inclusive, privatização de alguns ativos, como a Copasa e até a Cemig.

O conteúdo continua após o anúncio
Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia