Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / polícia / eleições 2020 / bolsonaro

Representação pede reabertura das bancas de jornais e revistas

Por Paulo Cesar Magella

22/05/2020 às 18h00 - Atualizada 22/05/2020 às 15h50

A pedido do vereador Antônio Aguiar, a Câmara encaminhou à Secretaria de Desenvolvimento Econômico uma representação pedindo a revisão do status das bancas de jornais e revistas, a fim de retorná-las – como era antes de a cidade aderir ao Minas Consciente – à condição de serviços essenciais. Na sua argumentação, cuja discussão ocupou boa parte da sessão do Legislativo de sexta-feira, o segmento das bancas de jornais e revistas é classificado no Minas Consciente como atividade de risco médio. “Acreditamos que tal serviço pode ser enquadrado na ‘Onda 0’ ou ‘Onda Verde’ por se tratar de um serviço essencial que oferece acesso à informação diária, crédito para telefones celulares facilitando a comunicação à distância, revistas passatempo e palavras cruzadas importantes neste momento de isolamento social, e diversos itens essenciais para a população”, afirma. Ademais, lembrou que as bancas não são locais de aglomerações.

O conteúdo continua após o anúncio
Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia