Comissão na Câmara corre o risco de não sair do papel

Por Paulo Cesar Magella

12/01/2018 às 07h42 - Atualizada 12/01/2018 às 07h42

Saia justa

O Departamento Jurídico da Câmara está analisando uma questão criada pelos próprios vereadores e que, nos bastidores, acabou se transformando numa saia justa para a Mesa Diretora. Por requerimento do vereador Charlles Evangelista (PP), o plenário aprovou a criação da Comissão Especial de Enfrentamento às Drogas, cuja finalidade é a prevenção, a conscientização e o combate ao uso de entorpecentes no município. Ela deve ser composta pelo próprio autor e pelos vereadores André Mariano (PSC) e Sheila Oliveira (PTC). E aí surgiu o primeiro impasse, uma vez que, no encaminhamento da comissão, já estavam definidos os nomes, embora, segundo interpretação do próprio Legislativo, essa prerrogativa seja da Mesa Diretora. A segunda questão é a finalidade. Há entendimento entre os próprios vereadores que há choque de atribuições, pois a questão das drogas já é discutida na Comissão de Saúde e na Comissão de Segurança, não havendo necessidade de uma nova comissão. O jurídico ainda não se manifestou.

Habilitados em JF

Dos 800 mil filiados do PSDB em todo o país, pelo menos cerca de três mil deles são de Juiz de Fora. Mas esse número não significa, necessariamente, ser o quorum da votação do dia 4 de março, quando o partido fará consulta nacional para definir quem será o seu candidato à Presidência da República. A prévia, em princípio, vai envolver apenas os nomes do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio. Pelas contas dos dirigentes tucanos, o número de votantes em Juiz de Fora deve ficar em torno de mil, mas tudo vai depender do momento. Na convenção em que os grupos do vereador Rodrigo Mattos e do deputado Lafayette Andrada bateram chapa, foram cerca de 600 os participantes, e o evento foi considerado um dos mais prestigiados dos últimos anos.

 

Mais influente

A deputada Margarida Salomão, dentre todos os parlamentares de Minas Gerais, é a mais influente nas redes sociais. Os dados são da FSBinfluênciaCongresso, que monitorou as publicações dos deputados federais e dos senadores no período de 1° de fevereiro a 31 de dezembro de 2017. De acordo com a pesquisa, Margarida possui mais de 98 mil seguidores e usa as redes sociais como uma das ferramentas para interagir com o eleitor e colocá-lo mais próximo das questões que são discutidas no Congresso Nacional. Além do mais, as publicações dão mais transparência ao mandato. O ranking geral do Congresso analisou 525 parlamentares, entre deputados e senadores. O instituto, para chegar aos números, contabiliza o alcance e o engajamento no Facebook e no Twitter, que inclui curtidas, comentários e compartilhamentos.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Férias de Bruno

O prefeito Bruno Siqueira irá tirar dez dias de férias. O pedido já foi aprovado pela Câmara, na sessão de quarta-feira. Pelo requerimento, ele começa o período de descanso no dia 17, voltando às atividades no dia 26. O vice, Antônio Almas, irá responder pelos atos do município, na sua primeira grande interinidade. Bruno não revelou sua agenda, mas quem o conhece sabe que estará antenado às questões do município mesmo durante as férias. Por isso, o mais provável é que viaje de carro para facilitar um eventual retorno. Políticos fora do domicílio quando há problemas tornaram-se uma questão crítica. Há cerca de 15 dias, o governador Marconi Perillo, de Goiás, foi flagrado numa praia enquanto ocorria uma rebelião em um dos presídios do estado. Teve que dar muitas explicações. Para os mineiros, o caso mais emblemático ocorreu na gestão Eduardo Azeredo. Minas estava debaixo d’água, mas ele se recusou a interromper as férias no exterior. Pagou o preço.

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia