Tópicos em alta: cartas a jf / sergio moro / dengue / polícia

Venda da Cemig

Por Paulo Cesar Magella

11/01/2019 às 07h01 - Atualizada 11/01/2019 às 07h31

O governador Romeu Zema, em entrevista à Rede Record, disse que deve enviar à Assembleia Legislativa mensagem tratando da privatização da Cemig, o que seria, segundo ele, uma das exigências do Tesouro Nacional para injetar recursos no Estado. O governador, no entanto, deve esperar a mudança da Assembleia, com a posse dos eleitos no início de fevereiro. Mesmo assim, irá mexer num tema polêmico. Quando era governador, o tucano Eduardo Azeredo tratou do assunto e fez acordo com empresas americanas para assumirem o controle da estatal. Foi uma confusão geral, por conta da reação não só dos trabalhadores mas também dos próprios políticos. Tão logo assumiu, o governador Itamar Franco revogou a medida e capitalizou a empresa que, atualmente, passa de novo por dificuldades.

Sob condições

Quando ainda estava em campanha, Romeu Zema visitou a Rádio CBN Juiz de Fora e abordou a privatização da companhia de energia elétrica, mas fez uma ressalva. Só tomaria essa providência depois de melhorar a performance econômica da empresa, a fim de obter um valor mais alto numa eventual privatização. Somente com a emissão da mensagem é que será possível avaliar se essa questão está sendo levada em conta.

O conteúdo continua após o anúncio

Futuro na mesa

O deputado Marcus Pestana desembarcou à noite em São Paulo para cumprir uma longa agenda de conversas com lideranças políticas e colegas de partido. O primeiro encontro seria com o ex-deputado Antônio Imbassay, de quem foi colega na Câmara Federal. Nesta sexta-feira, Pestana – secretário-geral do PSDB – tem na agenda reuniões com o ex-chanceler Aloysio Nunes Ferreira, o secretário de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann, atual diretor do hospital Albert Einstein, e, finalmente, com o governador João Doria. Terá um cardápio variado, que passa pelas políticas públicas de saúde, gestão pública até o futuro do PSDB.

Nova ouvidora

A vereadora Ana Rossignoli foi nomeada ouvidora-geral da Câmara Municipal. A decisão, assinada pelo presidente Luiz Otávio Coelho (Pardal), foi publicada nos Atos do Legislativo dessa quinta-feira e entrou em vigor na data de sua publicação. De acordo com a resolução número 1.248, de 31 de maio de 2011, cabe ao ouvidor receber solicitações, reclamações, elogios, críticas, sugestões e quaisquer outros encaminhamentos da sociedade, desde que relacionados ao funcionamento da Câmara.

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia