Tópicos em alta: polícia / campeonato mineiro / bolsonaro

Reforma na pauta

Por Paulo Cesar Magella

10/01/2019 às 07h02 - Atualizada 09/01/2019 às 20h16

Sem previsão para conclusão, a Câmara começou a discutir a mensagem do prefeito Antônio Almas que trata da reformulação administrativa da Prefeitura. Na última terça-feira, dez vereadores foram à Prefeitura para conversar especialmente com o comitê de crise, para se inteirar dos detalhes da matéria. Tal procedimento deve se repetir nesta quinta-feira, desta vez durante a reunião ordinária, isto é, os secretários estarão formalmente no palco de discussão da reforma que causa alguma inquietação em setores do próprio Legislativo. Os vereadores querem mais detalhes, sobretudo pelo fato de alguns deles conhecerem de perto a máquina pública, a começar pelo presidente da Câmara, Luiz Otávio Coelho (Pardal), que é funcionário de carreira, a mesma situação de Zé Márcio Garotinho.

O conteúdo continua após o anúncio

Lobbies em ação

Na reunião de terça-feira, já foi possível encontrar um termômetro da discussão que vai se desenrolar no Legislativo. Os vereadores têm preocupações sobre vários setores, inclusive sobre a eficácia de algumas medidas. Nos bastidores, ocorrem lobbies de algumas áreas, especialmente da cultura, que até agora não entenderam direito como vai se processar a transferência do Museu Mariano Procópio para a aba da Funalfa. Afinal, trata-se de uma fundação que tem até um conselho de amigos.

Dentro do prazo

É provável que sejam pedidas vistas da matéria para sua análise, mas o líder do Governo, Júlio Obama Jr., deve postular o apoio dos seus colegas para avaliar a matéria dentro dos prazos, já que a Câmara entra em recesso no dia 15 e só volta na segunda metade de fevereiro. Mas não haverá surpresa se o texto virar o mês ou exigir reuniões extraordinárias. Já na terça-feira, foi avisado ao comitê que não haverá açodamento na avaliação da proposta diante de sua importância.

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia