Rodrigo Mattos vai a BH para ver projeto de segurança do Legislativo

Por Paulo Cesar Magella

12/11/2017 às 07h00 - Atualizada 11/11/2017 às 14h19

Mais segurança

O presidente da Câmara de Juiz de Fora, Rodrigo Mattos (PSDB), se reúne na segunda-feira (13) com o seu correligionário e presidente da Câmara de Belo Horizonte, Henrique Braga. Além de políticas de comunicação e transparência adotadas pelas duas casas legislativas, Rodrigo quer conhecer o sistema de identificação de visitantes adotado pelos vereadores da capital. A questão de maior controle do acesso às dependências da Câmara Municipal foi motivo de discussão no último período legislativo. Tal pleito foi levantado pelo vereador Charlles Evangelista (PP), que sinalizou anseio em protocolar um dispositivo parlamentar solicitando a adoção de porta giratória, detector de metais e sistema de cadastro para uma melhor gestão das pessoas que comparecem à Casa.

 

Consumidor

Empresas de crédito pessoal e operadoras de telefonia móvel continuam no topo das reclamações levantadas pelos serviços de defesa do consumidor. O Sedecom da Câmara Municipal encaminhou cerca de 40 reclamações contra uma única empresa de crédito por ter infringido, entre outras normas, a Lei 8.137/90, que regula as relações de consumo. Ela proíbe, entre outros pontos, a prática reiterada de cobrança de juros e encargos ilegais, e, de acordo com alguns consumidores, as ofertas de crédito pessoais são feitas com promessa de baixas taxas de juros consignados, mas na hora da cobrança a cotação é outra.

 

Hingel e a plateia

Ao falar como orador na solenidade em que foi entregue a Comenda Bernardo Mascarenhas, o professor Murílio Hingel prendeu a atenção da plateia por 34 minutos. Abordou sua experiência como professor, em que atuou nas três esferas da educação. Lembrou que, ainda como estudante na Academia, teve a primeira experiência como professor e nunca mais deixou a função. Ministro da Educação no Governo Itamar e um dos fundadores da Faculdade de Letras da UFJF, se disse recompensado pelo trabalho, mas lamentou que os convites para falar em público estejam cada vez mais raros. Na plateia, houve quem lamentasse tal situação, pois Hingel ainda tem uma longa contribuição a prestar, especialmente aos jovens, por conta de sua experiência e conhecimento.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Ouvidoria Móvel

Juiz de Fora recebe na terça-feira (14) um posto da Ouvidoria Móvel, em que os cidadãos poderão registrar reclamações, denúncias, sugestões, solicitações e elogios sobre os serviços prestados por órgãos estaduais. A cidade foi contemplada por essa ação por ser, fora da Região Metropolitana de Belo Horizonte, o município com o maior número de registros na Ouvidoria. Os atendimentos vão ocorrer na Praça Antônio Carlos (ao lado do Espaço Mascarenhas), das 9h às 16h, e contarão com a presença de representantes das ouvidorias de saúde, fazenda, patrimônio, licitação pública, polícia, sistema penitenciário, meio ambiente e educação. De acordo com o ouvidor-geral, Wadson Ribeiro, a meta é aproximar ainda mais a Ouvidoria da população.

 

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia