Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Todos os municípios de Minas vão receber vacina da Janssen, afirma secretário

Titular da Saúde confirmou informação nesta quinta à Rádio Transamérica JF; Ministério da Saúde ainda aguarda recebimento do imunizante


Por Gabriel Silva, sob a supervisão do editor Bruno Kaehler

10/06/2021 às 14h13- Atualizada 10/06/2021 às 14h19

“Quando o Governo de Minas Gerais receber as vacinas contra a Covid-19 da Janssen, todos os municípios do estado vão ter acesso ao imunizante.” É o que garantiu o secretário de Estado de Saúde (SES), Fábio Baccheretti, em entrevista à Rádio Transamérica Juiz de Fora (91,3 FM) nesta quinta-feira (10). A pasta estadual vai optar por não seguir recomendação do Governo federal, que sugeriu a entrega de doses apenas às capitais do país. Ainda não há data, no entanto, para a chegada das vacinas ao Brasil.

O Ministério da Saúde (MS) aguarda a chegada de três milhões de doses do imunizante produzido pela Johnson & Johnson, os quais têm prazo de vencimento em 27 de junho. A remessa ainda não tem data para sair dos Estados Unidos e pousar em solo brasileiro, uma vez que a farmacêutica depende de liberação da Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora estadunidense.

Como a tendência é que a entrega ao Brasil ocorra próximo da data de vencimento das unidades, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) sugeriu a distribuição dos imunizantes apenas às capitais, visando a pronta aplicação. A ideia do Governo de Minas Gerais, no entanto, é conseguir entregar os imunizantes em todo o território mineiro. “Apesar de o Governo federal ter emitido uma recomendação de apenas as capitais receberem as vacinas, pela validade ser ainda deste mês, nós temos a confiança de que a distribuição e a aplicação dos municípios estão sendo muito eficientes”, justifica Fábio Baccheretti. Ainda não há, nem mesmo, planejamento do quantitativo que cada estado brasileiro vai receber do imunizante.

Dose única

A vacina da Janssen tem a vantagem de ser aplicada em dose única, diferentemente das outras três negociadas com o Governo brasileiro (Coronavac, AstraZeneca e Pfizer), que precisam de duas doses para obter a imunização completa contra a Covid-19. Segundo os estudos, o imunizante da Janssen tem eficácia de 66% contra casos moderados e graves e de 85% contra casos graves de coronavírus. Ela teve o aval de distribuição no país emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no dia 31 de março. Além das três milhões de unidades esperadas para junho, o acordo com a farmacêutica inclui outras 35 milhões de doses para serem entregues no segundo semestre.

O conteúdo continua após o anúncio

Também entrevistada pela Rádio Transamérica Juiz de Fora, a secretária de Saúde da Prefeitura de Juiz de Fora (SS/PJF), Ana Pimentel, comemorou a possível chegada do novo imunizante no município. “Ela tem a facilidade de ser dose única, e tem tudo para acelerar o processo de imunização. É digna de comemoração no final de semana”, afirma.

Seringas

A Rádio Transamérica Juiz de Fora também ouviu o titular da SES-MG e a secretária Ana Pimentel sobre o caso das seringas envolvidas na perda de doses da Coronavac no município. O secretário estadual voltou a destacar que o município segue as práticas corretas preconizadas pelo estado, como a pasta havia anunciado em relatório publicado na quarta-feira (9), mas apontou sugestões na contabilização do número de doses aplicadas por frascos. “Algumas considerações foram feitas e, junto com o município, iremos melhorar e qualificar ainda mais os dados. Porque, às vezes, os dados compilados mostram uma perda maior do que realmente aconteceu”, analisa.

A secretária Ana Pimentel, por sua vez, ressaltou o fato de não terem sido identificadas práticas incorretas na aplicação das vacinas pelos agentes do município. De acordo com ela, a secretaria vai analisar as sugestões de mudanças na contabilização de perda de doses que foram realizadas pela SES-MG. “Achamos que as recomendações são pertinentes, mas é importante dizer que não houve nenhum comentário que desabonasse a gestão do município. A perda técnica é esperada, acontece, o que o relatório mostrou é que ela não se deve ao manuseio dos vacinadores”, destaca.

Ampliação da vacinação

De acordo com Ana Pimentel, na próxima semana o objetivo é concluir a vacinação de profissionais da educação com 50 anos ou mais no município. A secretária evitou dar prazo para a imunização seguindo apenas o critério de idade, o qual depende, segundo ela, de maior quantitativo de vacinas. “Assim que recebermos a confirmação do número de doses, nós queremos diminuir a (vacinação por) idade também. Mas, para anunciar a data exata, a gente precisa da confirmação do número de doses que receberemos”, pondera. Nesta quinta, Juiz de Fora começou a vacinar os trabalhadores da educação infantil de 55 a 59 anos e, na sexta-feira (11), vai atender ao público de 50 a 54 anos.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia