Tópicos em alta: eleições 2018 / chuva / polícia

Dia Nacional da Cachaça

Por Airton Soares

13/09/2018 às 13h37

 

A cachaça é um dos mais representativos símbolos da nossa identidade brasileira. Genuinamente nacional, aqui nasceu e vem sendo produzida desde o Brasil Colônia. E, com todo esse tempo de vida, é cada vez mais apreciada pelo povo e ganha o mundo com importações de alguns milhões de litros anuais.

Mas se a reputação está ficando fortíssima lá fora, por aqui ela sempre foi a mais querida e pedida nos botecos e, mais recentemente, está sendo desmitificada e ganhando o paladar de quem gosta de alta gastronomia ou da culinária gourmet. Isso porque as cachaças estão sendo melhoradas, desde sempre, e incorporando em sua produção técnicas de qualidade e, principalmente, de guarda e envelhecimento em madeiras que trazem várias nuances novas e agradáveis aos paladares mais sofisticados.

Pois existem marcas que preservam o líquido em tonéis ou barris de carvalho, bálsamo, castanheira, jequitibá, amburana, amendoim, freijó e tantas outras madeiras que tornam a cachaça uma bebida macia e cheia de aromas e sabores deliciosos, tudo caindo muito bem com os mais diversos pratos em harmonizações que vão sendo testadas e apreciadas pelos chefs e pelo público em geral.

 Cachaça na harmonização e nas receitas dos pratos

O conteúdo continua após o anúncio

Reflexo disso foram os rótulos extra premium, que são envelhecidos por três anos ou mais, terem sido muito requisitados em harmonizações promovidas pelos chefs juiz-foranos no Circuito Dom Bré Temperos com Arte. Por exemplo, a cachaça reservada em carvalho francês foi harmonizada com uma deliciosa costela ao bafo, com o inseparável torresmo numa versão gourmet e até com um bolinho de truta defumada, em que entrou na composição da receita e como bebida harmonizada na degustação. Já a cachaça envelhecida em jequitibá, clara e mais aromática, foi servida como acompanhamento de uma deliciosa receita de moqueca capixaba com badejo e camarões. Posso afirmar, com a convicção de quem experimentou todas as receitas, que ficaram perfeitas com essa excelente cachaça de Guarani.

Para nossa sorte, temos aqui em Minas várias rótulos de cachaças excelentes, que vão ganhando títulos e mais títulos, tanto nacionais como internacionais. Em agosto, no mais prestigiado concurso de destilados do mundo, a tradicional cachaça mineira levou dois dos cinco prêmios máximos. Em Plovdiv, Bulgária aconteceu Spirits Selection by Concours Mondial de Bruxelles. Dos cinco destilados que receberam a medalha de Revelação, eleitos como “os melhores destilados do mundo”, dois são cachaças das Gerais: Cachaça Gouveia Brasil 44, produzida na cidade Turvolândia/MG, e, na categoria orgânica, a Cachaça Perfeição, de Santo Antonio do Rio Grande/MG. E vários outros rótulos do estado foram premiados com medalhas de Ouro e Prata no concurso.

E como eu estou aqui para dar dicas, se você está interessado em experimentar novos sabores e aromas das tradicionais cachaças mineiras, converse com quem é daqui e entende como ninguém das nossas caninhas: a Pró-Santo tem loja on-line e, melhor ainda, várias cachaças de alambique excelentes para vocês experimentarem. Está rolando promoção por lá, com vários descontos em comemoração ao Dia Nacional da Cachaça! O frete, para JF, é gratuito. Tem mais: nos dias 15 e 16 de setembro, eles promovem o Festival Sabores de Minas no Shopping Jardim Norte, com shows, degustação e venda de 17 rótulos de cachaças de nossa região.  Então vamos juntos comemorar o Dia Nacional da Cachaça, com um bom gole da agua-que-passarinho-não-bebe ! Não se esqueça: beba sempre com moderação e, se beber, não dirija!

Festival Sabores de Minas

Dias 15 (Carol Tavares e Banda Mumba) e 16 (Diego & Felipe e Alan & Alisson), das 12h às 22h, no Shopping Jardim Norte (Av. Brasil 6.345, Mariano Procópio)

Telefone: (32) 3512-2000

 

Desenvolvido por Grupo Emedia