Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Morador denuncia cavalo morto há três dias no Parque Guarani

Moradores reclamam do mau cheiro e pedem retirada do corpo do animal, que está próximo a um córrego


Por Tribuna

13/10/2021 às 20h05- Atualizada 13/10/2021 às 20h36

Segundo morador, Corpo de Bombeiros fez o resgate do animal, que acabou morrendo após o resgate (Foto do leitor Felipe da Silva Oliveira)

Um morador da Avenida Juiz de Fora, no Bairro Parque Guarani, entrou em contato com a Tribuna para denunciar uma situação que ocorre nos fundos de sua casa, no número 920, onde passa um córrego.

Conforme Felipe da Silva Oliveira, um cavalo atolou na lama do córrego, há três dias, e precisou da ajuda do Corpo de Bombeiros para se soltar. No entanto, logo após a operação, o animal morreu, permanecendo no local até o momento. De acordo com Felipe, o mau cheiro está insuportável e incomodando toda a vizinhança.

O conteúdo continua após o anúncio

“Tem três dias que este cavalo está morto aqui e ninguém sabe quem é o dono do animal. Chamamos o Demlurb, que enviou uma equipe ao local. Mas eles não retiraram o cavalo, disseram que não tem uma máquina apropriada para fazer o serviço”, informa Felipe.

Em nota, o Demlurb informou que “que o cavalo encontra-se em uma área particular, necessitando da autorização do proprietário para fazer a retirada. Além disso, o animal está há cerca de 400 metros da via e em um local onde o caminhão não tem acesso para entrar. Dessa forma, o Demlurb irá solicitar apoio ao Corpo de Bombeiros para recolher o animal”.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia