Motociclistas podem ser obrigados a informar tipo sanguíneo em seus capacetes

Proposta da vereadora Ana Rossignoli está pronta para entrar em votação no plenário da Câmara de JF

Por Tribuna

11/06/2018 às 19h04

Um projeto de lei de autoria da vereadora Ana Rossignoli (MDB) quer obrigar a motociclistas que transitam por Juiz de Fora a informar, em identificação a ser afixada em seus capacetes, seus grupos sanguíneos e fator RH. Segundo o texto da proposta, que está pronta para entrar em votação no plenário, a falta de tal informação poderá resultar em aplicação de notificação e multa, cujo o valor deverá ser estabelecido pela Prefeitura. O Poder Executivo também ficará a cargo da fiscalização da exigência, caso a proposição seja aprovada pela Câmara e sancionada. Os condutores de motos terão um prazo de quatro meses para se adequarem à obrigatoriedade.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo Ana Rossignoli, o principal objeto da proposta é o de agilizar o atendimento dos motociclistas em casos de acidente de trânsito. “A inclusão da tipagem sanguínea e fator RH nos capacetes possibilitará aos médicos, paramédicos e enfermeiros agilidade no socorro e, especialmente, no atendimento médico, aumentando a possibilidade de salvamento do acidentado e a diminuição das sequelas decorrentes do acidente. Grande parte da população desconhece a relevância do assunto. Esta falta de informação é prejudicial em várias ocasiões, especialmente em casos de necessidade de transfusões de sangue”, afirmou a vereadora, na justificativa do projeto de lei.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail





Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia