Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

PJF é habilitada para acessar banco de informações de segurança pública

Acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública permitiu a integração do Município ao Sistema Córtex


Por Tribuna

23/06/2022 às 12h42

Juiz de Fora foi habilitada a integrar o Sistema Córtex do Ministério da Justiça e Segurança Pública, uma plataforma de informações unificadas, cujo banco de dados é constantemente alimentado pelas forças de segurança públicas federais e estaduais, bem como por outros órgãos fiscalizadores. Em uma via de mão dupla, a cidade disponibiliza e recebe acesso a dados, em tempo real, com possibilidade de realizar pesquisas e emitir alertas em segurança pública.

Para aderir ao sistema, a Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Sesuc) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) passou por longo processo de validação junto à Secretaria de Operações Integradas (Siopi), do Ministério, segundo a Prefeitura.

O conteúdo continua após o anúncio

Entre as vantagens apresentadas pelo Córtex estão a consulta de pessoas e de veículos. Além disso, os guardas municipais passam a ter acesso, com mais agilidade, a informações sobre pessoas abordadas em situações de suspeição ou de crime consumado, verificando inclusive a existência de mandado de prisão em aberto.

No serviço diário da Guarda Municipal, o agente se depara com a necessidade de obter informações relativas às ocorrências atendidas. “Neste sentido, o acesso ao sistema Córtex passa a ser uma importante ferramenta que otimizará e profissionalizará a atuação operacional e o patrulhamento realizado pelas equipes da corporação”, afirmou o comandante da Guarda Municipal, Leandro Lisboa Barros, por meio da assessoria da PJF.

O Córtex proporciona acesso, em poucos segundos, a diversos bancos de dados, facilitando a correta identificação e o esclarecimento de informações, por vezes, fornecidas de modo errado com a finalidade de confundir o agente na hora da sua intervenção.

Os comentários nas postagens e os conteúdos dos colunistas não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir comentários que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Desenvolvido por Grupo Emedia