Tópicos em alta: cartas a jf / sergio moro / dengue / polícia

Especialistas alertam sobre perigo de ‘carbofobia’ para adeptos de dietas

Por Camila Tuchlinski (Agência Estado)

22/04/2019 às 20h17

O que há em comum entre a dieta cetogênica, a dieta da proteína e a dieta “low carb”? Todas elas restringem, consideravelmente, o consumo dos carboidratos. Muita gente realiza esse tipo de regime e garante que emagrece rapidamente.

O sucesso das dietas sem carboidrato fez com que muita gente acreditasse que o macronutriente é o vilão, ou seja, que carboidrato engorda. “Ele virou ‘vilão’ porque é consumido em excesso de uma maneira geral, principalmente o carboidrato (farinha branca, açúcar). Isso está muito inserido no padrão de alimentação da maioria das pessoas e retirar esses alimentos é um fator primordial para conseguir o emagrecimento. O excesso do consumo de carboidratos não saudáveis acabou criando mais tensão de que todos os carboidratos são ruins”, avalia o nutrólogo Kaue Kranholdt.

O especialista em performance esportiva, emagrecimento e vegetarianismo acredita que, hoje em dia, existe um certo medo de consumir carboidrato. As pessoas acreditam que vão engordar e que até outros elementos macronutrientes, como proteína e gordura, não são tão preocupantes no ganho de peso.

“O carboidrato não é o vilão. O ideal é o equilíbrio sempre. Muitas vezes, o consumo do carboidrato simples é exagerado, aí o paciente procura assistência médica para perder peso e precisa adequar sua alimentação”, explica a endocrinologista Livia Marcela.

A mestre em Endocrinologia pela Unifesp conta que a maior procura por emagrecimento na clínica é por parte dos jovens, que acompanham esse movimento “low carb” nas redes sociais e surgem com a chamada “carbofobia”, ou seja, o medo de consumir carboidratos.

O nutrólogo Kaue Kranholdt acredita que a “carbofobia” pode ser associada inclusive ao consumo de carboidratos integrais: “É um comportamento alimentar excessivamente preocupado na ingestão de carboidratos mesmo considerados os carboidratos saudáveis (provenientes de frutas naturais, farinhas integrais, grãos etc)

O conteúdo continua após o anúncio

A “carbofobia” é a preocupação unicamente das pessoas com esse ingrediente para fazer uma dieta e isso acaba sendo muito mais acentuado com a popularização das dietas “low carb”, cetogênica, paleo, que preconizam uma alimentação com baixa ingestão de carboidrato.

Lívia aconselha fazer uma adequação do cardápio para a perda de peso e não a extinção do consumo de carboidrato. “Diminuir doces e alimentos processados, além de introduzir os integrais e frutas, que são carboidratos também, mas são muito bem-vindos na alimentação.

O que é carboidrato

Carboidrato é um macronutriente formado fundamentalmente por moléculas de carbono, hidrogênio e oxigênio. Este macronutriente quando ingerido e absorvido é responsável por liberar glicose, fornecer energia para as células por ser a primeira fonte de energia celular e fazer a manutenção metabólica glicêmica para que o corpo continue funcionando bem.

O nutrólogo Kaue Kranholdt afirma que a dieta “low carb” cria uma falsa impressão de rápida perda de peso. “O uso da dieta ‘low carb’ e o uso de uma dieta com restrição calórica apresentam a médio e longo prazo exatamente o mesmo resultado. O único fator diferencial é que a ‘low carb’ pode apresentar uma perda de peso mais rápida e isso ocorre porque o carboidrato, como macronutriente, é responsável pela locomoção de água no nosso organismo e quando as pessoas restringem excessivamente o consumo de carboidrato existe uma falsa impressão de mudança de peso”.

“Essa variação líquida pode ser percebida quando as pessoas adeptas do ‘low carb’ eventualmente consomem carboidrato novamente, às vezes escapam da dieta no final de semana, feriado, e relatam ganho de peso muito rápido”, enfatiza. O especialista explica que isso ocorre porque existe uma mudança de líquido corporal quando entra novamente o carboidrato na alimentação.

Riscos à saúde

Para o nutrólogo Kaue Kranholdt, deixar de comer carboidrato pode ser perigoso: “A restrição de carboidrato por ser prejudicial ao organismo porque isso pode eventualmente causar alteração comportamental (transtorno alimentar) e alguns micronutrientes podem ficar ausentes de uma alimentação saudável porque os carboidratos estão sendo totalmente evitados”, diz. Ele lembra que, para quem faz atividade física, restringir o consumo de carboidrato é totalmente contraindicado, pois não existe performance esportiva sem o nutriente.

Receba nossa
Newsletter

As principais notícias do dia no seu e-mail



Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia