Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

A importância da Vitamina D no organismo

Por Alice Amaral

02/06/2021 às 09h20 - Atualizada 02/06/2021 às 09h20

A vitamina D, que também é conhecida como a vitamina do sol, é um pró-hormônio produzido na pele a partir de uma substância derivada do colesterol quando estimulada pelos raios ultravioletas da luz solar. É convertido em colecalciferol, se metabolizando no fígado e transformando em 25-hidroxivitamina D, que nos rins, sob influência do paratormônio, é convertida a 1,25-dihidroxivitamina D, que corresponde a forma ativa e estável da vitamina D.

Antes a vitamina D só era relacionada à saúde óssea do paciente, mas atualmente nós sabemos da sua relação com várias doenças, como a diabetes, Alzheimer, câncer, psoríase, entre outras. Antigamente, não existia antibiótico e os pacientes se tratavam em Clínicas Solarium. Essa helioterapia (terapia do sol) utiliza o sol como remédio e era realizada na antiguidade pelos gregos. Na civilização antiga, os doentes ficavam expostos ao sol para acelerar o procedimento de cura.

A vitamina D aumenta a produção de endorfina, ocasionando a sensação de bem-estar, diminuindo a ansiedade, a agitação e o estresse.

Nas grávidas, ajuda a prevenir a diabetes gestacional, evita o aumento da pressão arterial e o baixo peso do bebê ao nascer. Ela também é indicada na prevenção do câncer (principalmente o de mama e o do intestino grosso), doenças autoimunes, como diabetes tipo 1, esclerose múltipla, lupus, doença inflamatória do intestino, artrite e reumatoide.

O conteúdo continua após o anúncio

A deficiência da vitamina D também está ligada à doença de raquitismo na infância e osteoporose, nos adultos. Ela melhora a saúde cardiovascular, diminui o risco do infarto agudo do miocárdio, hipertensão arterial, aumenta a força, a agilidade muscular, além de ser um poderoso antioxidante, atuando nos radicais livres e prevenindo o envelhecimento precoce. A vitamina D também auxilia na prevenção de doenças degenerativas, diabetes do tipo 2 e obesidade.

Ela fortalece a imunidade nata, presente desde o nascimento e evita respostas imunológicas hiperativas. Os pesquisadores descobriram uma forte correlação entre os níveis de vitaminas D e a tempestade de citocinas – uma condição hiper inflamatória causada por um sistema imunológico hiperativo – bem como uma correlação entre a deficiência de vitamina D e a mortalidade. Essa tempestade de citocina pode danificar gravemente os pulmões e levar à síndrome da deficiência respiratória aguda e à morte – principal causa da morte de pacientes com Covid-19.

Portanto, a vitamina D não apenas melhora o sistema imunológico inato, como evita que o sistema imunológico se torne perigosamente hiperativo . Isso significa que ter níveis saudáveis de vitamina D poderia proteger os pacientes contra complicações graves do Covid-19.

Importante destacar, ainda, que a vitamina D não impede o paciente de contrair o vírus, mas uma pessoa com o sistema imunológico fortalecido tem menor chance de se contaminar e pode ser uma ferramenta capaz de reduzir as complicações e prevenir a morte daqueles que estão infectados.

Alice Amaral

Alice Amaral

Médica - Título de Especialista em Nutrologia – RQE 9884 - Título de Especialista em Medicina do Esporte – RQE 9895 - Título de Medicina Física e Reabilitação - RQE 44090

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia