Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / chuva / polícia / obituário

Decoração industrial

Por Aletheia Westermann

17/01/2021 às 06h58 - Atualizada 16/01/2021 às 17h04

Quem gosta de história da decoração vai adorar saber de onde veio o estilo industrial. Ele surgiu desde a planta livre de Le Corbusier na França pós-guerra dos anos 20 aos galpões e armazéns abandonados no Soho, Nova York dos anos 1950, em diante, e transformados em lares devido à bolha imobiliária nos Estados Unidos. Ou seja, os tijolos e tubulações aparentes, assim como a madeira desgastada e o concreto não eram propositais, mas sim fruto de casa que invadiu os espaços industriais que artistas e profissionais liberais buscavam alugueis mais em conta.

Esse conceito de morada/trabalho ganhou destaque, o estilo industrial chegou à decoração e está cada vez mais presente no décor contemporâneo, trazendo um pouco do charme urbano para dentro das nossas casas, com suas estruturas expostas em contraste com um décor sofisticado.

Espaços amplos e funcionais, pé direito alto, muitas vezes com mezanino, grandes aberturas e vãos de iluminação, tubulações e estruturas aparentes, além de revestimentos mais rústicos como o tijolo, madeira, metais e muito concreto servem de referência para a criação desse conceito de espaço único que dispensa paredes em benefício de ambientes integrados, ideal para receber amigos e familiares com muito conforto e estilo.

O conteúdo continua após o anúncio

Móveis ganham funções duplas: mesa de jantar também serve para trabalhar, a cama vira sofá, peças vintage e variadas se unem às atuais para dar charme nesse mix. Soma-se também nesse universo outra estratégia, a de criar ambientes multiuso e sem muitas divisões, para manter a sensação de amplitude e liberdade, que funcionam ao mesmo tempo como living, home-theater e cozinha integrada. Uma boa disposição dos móveis e a utilização de painéis, biombos e estantes são excelentes saídas para setorizar os espaços sem perder a dimensão visual.

Acessórios descontraídos como luminárias com lâmpadas filetadas, bancos de metal, acabamento em materiais rudimentares e uma combinação descolada de cores neutras pontuada com tons mais vibrantes ajudam a trazer uma atmosfera urbana e moderna na decoração. Outra opção são os papéis de parede ou pintura para criar um efeito de tijolos ou concreto exposto.

Esse tipo de decoração entra em qualquer metragem, mas, em apartamentos cada vez menores, são soluções funcionais e elegantes que podem ser ótima alternativa.

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia