Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / lockdown / vacina / polícia / obituário

Própolis pode auxiliar o tratamento de Covid e outras doenças

Por Alice Amaral

25/02/2021 às 08h29 - Atualizada 26/02/2021 às 13h18

 

Um estudo realizado em parceria pela Apis Flora, Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e Hospital São Rafael (Salvador – BA) mostra que o extrato de própolis tem uma ação dupla:reduz a capacidade de entrada do vírus nas células e inibe a Via Pac 1 -responsável por inflamação, infecção e lesões como a fibrose pulmonar,diminuindo a necessidade dos cuidados intensivos e as taxas de mortalidade.

O ensaio clínico contou com 124 participantes e foi liderado pelo Dr. Marcelo Silveira, pesquisador clínico da Apis Flora e do Instituto D’Or. Eles realizaram o tratamento padrão – sendo que 82 usaram própolis e 42 não usaram. Os pacientes que usaram própolis tiveram, em média, 6 dias de internação. Os que não usaram, ficaram 12 dias hospitalizados, ou seja, uma redução de 50 % do tempo de internação e o menor índice de lesão renal.O própolis, como o nome já diz, é o pró (em favor de) polis (de cidade). Ele também é conhecido como cola de abelha. A cera é extraída da polpa das árvores. As abelhas recobrem as entradas das colmeias com essa cera para isolar o ambiente e manter a temperatura ideal e proteger de ventos e frio, além de impedir a entrada de bactérias, fungos e vírus.

Desde a antiguidade o própolis é usado pelos gregos e egípcios, como antisséptico e para embalsamar os mortos. Os incas usavam para tratar febre e inflamação. Hipócrates já falava da ação cicatrizante do própolis. Plínio, historiador romano, já defendia que ele era bom para tratar dores e edemas. Na Síria, ele era usado para estimular o crescimento dos cabelos. Os soldados romanos usavam o própolis para curar as feridas (de flechas e espinhos) e para dores.

Existem vários tipos de própolis, dependendo de qual planta foi retirada a resina e a espécie de abelha que o produziu. Os mais conhecidos são o verde, usado no estudo, o vermelho, e o preto/marrom. O própolis é rico em aminoácidos, bioflavonoides (antioxidantes), vitaminas A, B1, B2, B3, C e E, minerais (como zinco, cálcio, ferro, manganês, potássio, cobre, fósforo), além de ser um antibiótico natura lque protege a nossa microbiota intestinal e não cria resistência como os antibióticos sintéticos.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Ele também fortalece o sistema imunológico, além da ação anti-inflamatória, antisséptica, antimicrobiana, antifúngica, antiviróticas e inibe a multiplicaçãode células tumorais;Combate aos radicais livres, diminui o processo de envelhecimento e é um poderoso antioxidante que ajuda na eliminação de metais pesados, como agrotóxicos, poluição e estimula a produção de melatonina (hormônio do sono e da juventude e um poderoso antioxidante).

É indicado para tratar amigdalite,resfriado, infeções urinária, intestinal, úlcera gástrica, queimadura, ferida,acne, protege dos dentes e gengivas.

Um estudo turco mostra que o extrato de própolis é capaz de inibir o crescimento da Helicobacter pylori(bactéria causadora de gastrite, úlcera e câncer de estômago). No geral, ele não tem contra-indicação mas não é recomendado para crianças menores de um ano e para quem tem alergia ao produto.

Para saber se tem alergia, o paciente deve pingar duas gotas no antebraço e esperar meia hora para ver se vai dar alguma reação. Se não acontecer nada, está liberado o uso. Mas lembre-se: antes de começar qualquer procedimento, é preciso procurar orientação do seu médico.

 

Alice Amaral

Alice Amaral

Médica - Título de Especialista em Nutrologia – RQE 9884 - Título de Especialista em Medicina do Esporte – RQE 9895 - Título de Medicina Física e Reabilitação - RQE 44090

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia