Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Tratamento de vaginismo com neurotoxina

Por Marcelo Condé

25/09/2021 às 08h23 - Atualizada 28/09/2021 às 09h43

Muitas mulheres sentem dor durante a penetração, por fatores psicológicos ou orgânicos. O vaginismo, como é chamado, é caracterizado pela contração involuntária da musculatura próxima à vagina. Esta condição provoca espasmos que dificultam a penetração, gerando uma sensação de queimação que impossibilita o ato.

Com isso, um momento que era para ser de prazer, acaba se tornando uma situação de desconforto e dor, afetando o relacionamento com o parceiro. Mas você sabia que existem tratamentos para resolver esse problema? Sim, o Botox Íntimo.

O tratamento de vaginismo com neurotoxina promove um bloqueio na junção neuromuscular, ou seja, o estímulo dos neurônios não gera a contração do músculo. Isso acontece porque a substância causa o relaxamento dos músculos e facilita a penetração em casos de vaginismo.

O conteúdo continua após o anúncio

O objetivo, na verdade, é impedir que o impulso nervoso chegue ao músculo da vagina, evitando a sua contração. Para isso, são feitas aplicações de botox na mucosa externa e nos músculos de entrada da vagina que sofrerão uma leve paralisação, já que o produto é conhecido por inibir a atividade muscular.

O resultado será uma musculatura vaginal mais relaxada, facilitando a penetração, o que resultará em relações sexuais mais satisfatórias para a mulher. Além disso, é importante destacar que se o vaginismo for causado por fatores psicológicos, o indicado é realizar um acompanhamento com psicoterapeuta especializado em sexualidade.

O procedimento demora, em média, cerca de 10 minutos e o resultado chega em até 15 dias. A duração é de 8 a 11 meses.

 

 

Marcelo Condé

Marcelo Condé

Ginecologista e obstetra, especialista em medicina estética, com atuação nos hospitais Albert Sabin, Monte Sinai, Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora e Hospital Unimed. Integrante da Associação Brasileira de Cosmetoginecologia

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia