Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Exames preventivos devem ser feitos periodicamente

Por Marcelo Condé

25/02/2022 às 08h16 - Atualizada 22/02/2022 às 08h23

O mês de março é dedicado às mulheres, por isso é importante lembrar que para manter a boa saúde, existem exames que devem ser realizados periodicamente. Toda mulher deve-se consultar um ginecologista que, além de cuidar da saúde sexual, é apto para cuidar da saúde feminina em geral.

Levantamento feito pela Federação Brasileira da Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), chamado “Expectativa da mulher brasileira sobre sua vida sexual e reprodutiva: as relações dos ginecologistas e obstetras com suas pacientes” apontou que 20% das brasileiras não vão ao ginecologista com frequência, ou seja, pelo menos 5,6 milhões de mulheres brasileiras não costumam consultar um ginecologista-obstetra. Os dados alarmantes ainda mostram que 16,2 milhões não passam por consulta há mais de um ano e que 4 milhões nunca procuraram um profissional da área.

Os exames periódicos têm a finalidade de diagnosticar alterações da saúde da mulher mesmo antes da paciente apresentar sinais e sintomas das doenças ginecológicas, melhorando as chances de tratamento e cura. É na visita anual ao ginecologista que a paciente recebe orientações sobre quais, quando e como fazer seus exames preventivos, sobre o uso de métodos anticoncepcionais, irregularidade menstrual, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e diagnóstico precoce do câncer de mama e colo do útero, para garantir sua saúde e bem-estar.

Para entender a importância de consultar um ginecologista anualmente, veja abaixo quais são os exames preventivos que uma mulher pode vir a realizar todos os anos.

História clínica e exame clínico

Investigação de sinais, sintomas e fatores de risco, exame clínico das mamas, exame especular e toque vaginal. São realizados pelo médico ginecologista durante a consulta anual e tem a finalidade de detectar alterações e direcionar os exames necessários para diagnóstico e tratamento específicos.

Papanicolau

Indicado para detectar câncer de colo de útero e infecções. Consiste na coleta de secreção e células da vagina e do colo do útero, para análise citológica em laboratório. Deve ser realizado anualmente, a partir do início da vida sexual, inclusive nas gestantes.

Colposcopia/vulvoscopia

Indicados nos casos de alteração do colo do útero, paredes vaginais ou vulva, casos de Papanicolau alterado ou para complementá-lo.

O conteúdo continua após o anúncio

Mamografia

É o principal exame para detectar precocemente o câncer de mama após os 40 anos. Deve ser realizado anualmente, inclusive nas pacientes de baixo risco.

Ultrassom de mamas

Indicado para as pacientes jovens, pacientes com mamas densas, em casos de sintomas mamários ou como complemento do exame de mamografia.

Ultrassom transvaginal

Indicado para rastreamento de câncer de ovário e diagnóstico de miomas e cisto ovariano.

Densitometria óssea

Exame que deve ser realizado após a menopausa para avaliação da perda de massa óssea e risco para osteoporose.

Exames hematológicos, sorologias e dosagens hormonais

São os exames de sangue: hemograma, colesterol total e frações, glicemia de jejum, creatinina, HIV, sífilis, hepatites B e C, THS, T4livre, FSH, LH. São solicitados a critério médico para investigação diagnóstica, baseado na história clínica e exame físico da paciente.

Marcelo Condé

Marcelo Condé

Ginecologista e obstetra, especialista em medicina estética, com atuação nos hospitais Albert Sabin, Monte Sinai, Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora e Hospital Unimed. Integrante da Associação Brasileira de Cosmetoginecologia

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia