Tópicos em alta: polícia / carnaval 2019 / barragem / campeonato mineiro

As 5 mais

Nesta sexta-feira que passou, dia 1º de fevereiro, foi Dia do Publicitário (ou como os maldosos “injustamente” dizem, Dia do Ego, rsrsrsrs). Sempre me perguntam quais as propagandas de TV que eu mais gosto. Minha resposta aponta para as mais tocantes e que me surpreenderam na primeira vez que vi.

Por Sergio Gattás Bara, Fundador da Iso4 Comunicação, Diretor de Criação da IDC/Iso4, pai de três meninos e apaixonado pela vida.

03/02/2019 às 08h00 - Atualizada 02/02/2019 às 17h10

Nesta sexta-feira que passou, dia 1º de fevereiro, foi Dia do Publicitário (ou como os maldosos “injustamente” dizem, Dia do Ego, rsrsrsrs). Sempre me perguntam quais as propagandas de TV que eu mais gosto. Minha resposta aponta para as mais tocantes e que me surpreenderam na primeira vez que vi. Vou listar aqui 4 nacionais e me desafiei na difícil tarefa de escolher a mais marcante que já foi criada pela minha agência. Afinal, não há ego que resista em não se inflar nesse dia que acabamos de comemorar. Vamos lá! (na ordem inversa de preferência).

4- Tio da Sukita – 1999

Carillo Pastore EURO RSCG

O roteiro é simples e direto. O humor na dose certa. Direção impecável. Caiu no gosto popular rapidamente. Teve até desdobramentos ótimos. Mas a primeira foi a melhor.

3- O Primeiro Sutiã A Gente Nunca Esquece – 1987

W/Brasil | Cliente – Valisere

Para muitos o ponto alta da publicidade nacional. Um roteiro inteligente. Nenhuma palavra (exceto na assinatura final). Filme singelo e tocante. Washington Olivetto disse que este foi um filme que ficou melhor depois de feito do que no papel. O esmero da produção é comovente. Não basta ter uma grande ideia. Uma grande sacada precisa muitas vezes de uma brilhante produção para acontecer. E foi assim nesse clássico da propaganda nacional.

2- A Semana – 1998

W/Brasil | Cliente – Revista Época

O conteúdo continua após o anúncio

Lembro como se fosse hoje assistindo este filme “ao vivo” no intervalo do Fantástico em 2000. Eu aplaudi. Sozinho. E falei com a Isabel, minha mulher, que eu tinha acabado de ver uma das mais belas criações. Ele ganhou o Grand Clio 2001, um dos maiores reconhecimentos da publicidade mundial, que então, com seus 42 anos, só havia concedido este prêmio a 5 agências no mundo. Mas ela não ganha da minha favorita…

1- Folha – Hitler – 1988

W/Brasil | Cliente – Folha de S. Paulo

Para mim é, disparada, a melhor de todos os tempos. Sensacional, surpreendente e, infelizmente, continua tão atual… A simplicidade na execução do filme, a estética em preto e branco. A retícula que de repente revela o personagem. Texto primoroso e provocante. Concorreu para ser o comercial do século. Inesquecível e minha campeã!

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Minha Escolha – Nós Sabemos

Entre tantos filmes já criados pela agência e com tantas crias queridas, como o premiado “Base para o futuro”, para o Colégio Vianna Júnior (na época, Colégio São José), escolhi um que calou fundo ao coração. Meu eleito foi o filme “Nós Sabemos”, para o Instituto Bruno. Todo o trabalho foi voluntário. Desde nossa criação, passando pela produção da Para-Raio, a brilhante locução até a veiculação pelas emissoras de Juiz de Fora.

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Pronto! Escolhas feitas. Listas nunca são unanimidades. Ainda bem! Visitem os links dessas peças marcantes para todos nós. E depois enviem para o meu e-mail as 5 propagandas favoritas de vocês! Estou esperando!

 

Quer falar mais sobre propaganda ou ajudar a construir nossa coluna?
Email para [email protected]

Tribuna

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia