Tópicos em alta: matheus goldoni / CPI dos ônibus / polícia / bolsonaro / reforma da previdência

Finanças: não é só sobre dinheiro!

Apesar de medirmos o desempenho das ações no setor financeiro, a origem dos problemas e das vantagens de um negócio está muito além de uma planilha

Por Bruno Rodrigues Faria, analista do Sebrae Minas

29/01/2019 às 08h00 - Atualizada 28/01/2019 às 10h59

De maneira simples, podemos dizer que Finanças é a ciência da gestão do dinheiro. Ao ouvir essa palavra, logo imaginamos os profissionais da área de frente para uma tela de computador a analisarem planilhas e relatórios, debruçados sobre números o dia inteiro.

E se eu lhe dissesse que Finanças não diz respeito apenas a dinheiro?

É claro que os objetivos se mantêm os mesmos: maximizar os lucros do negócio, controlar os gastos e os estoques, gerenciar os resultados e recursos de maneira eficiente. Só que para atingi-los, o gestor financeiro, principalmente de pequenas empresas, deve atuar de forma mais integrada às demais áreas da empresa. Apesar de medirmos o desempenho das ações no setor financeiro, a origem dos problemas e das vantagens de um negócio está muito além de uma planilha.

Imagine uma consulta médica. O profissional de saúde vai solicitar exames para tentar entender a origem da dor do paciente e, só depois de avaliar seus resultados, indicará o tratamento adequado. Ainda assim, dependerá do paciente realizar o tratamento corretamente, com disciplina e regularidade.

Assim deve ser o gestor financeiro. Ele deve observar os números e relatórios – ou seja, examinar sua empresa – para, em seguida, lançar mão de ações que resolvam os pontos críticos identificados (aplicar o tratamento). Em um empreendimento, para que isso seja realizado adequadamente, deve-se estar próximo das áreas comerciais, de gestão de pessoas e de operação, que são onde as mudanças realmente costumam acontecer. Se não houver essa proximidade, de nada vai adiantar todos aqueles controles e planilhas.

Mas como fazer isso? Como o gestor financeiro pode ir além dos números?

O conteúdo continua após o anúncio

Comece pelo topo da hierarquia: os sócios devem ser os primeiros a entender a situação. Práticas simples como separar os recursos pessoais dos do negócio, definir critérios para reinvestir parte dos lucros da empresa e estabelecer uma reserva para segurança podem ajudar todo o restante a funcionar melhor. Para isso, o gestor financeiro deverá trabalhar com a mentalidade e a disciplina dos empresários, principalmente sobre as retiradas realizadas.

Pessoas produzem os números: planejamento financeiro é necessário, mas ele deve ser realizado sempre com as pessoas em mente. Idealizar planos e metas sem levar em conta o desenvolvimento das habilidades, a capacidade de entrega da sua equipe e até mesmo a visão que ela tem pode fazer um orçamento desmoronar em questão de dias. Não faça o planejamento sozinho! Ouça a sua equipe, entenda as dificuldades de cada um e incorpore os investimentos e resultados esperados.

Marketing e vendas são fundamentais: são os clientes que mantêm um negócio vivo, por isso, é fundamental estar próximo de quem tem mais contato com o mercado. Os colaboradores da área comercial e do marketing interagem o tempo todo com o consumidor e, por esse motivo, podem contribuir com ótimas dicas sobre a estratégia do negócio. O gestor financeiro deve trabalhar para que eles entendam que cada investimento realizado requer um retorno adequado e que as ações de marketing devem ser definidas em função do resultado esperado. Marketing não é para ser barato, é para ser rentável!

Conheça a operação: a área financeira costuma ser tão focada em controlar e gerar resultados que se esquece de entender mais sobre o negócio em si. Tirar um tempo para observar, conhecer e aprofundar-se no funcionamento da operação contribuirá muito para um diagnóstico financeiro mais preciso. De tempos em tempos, saia do escritório e vá para a linha de frente, observe os comportamentos, veja os problemas in loco. É isso que muitas vezes torna o gestor financeiro realmente preparado para contribuir para o negócio.

Dinheiro é importante, sim, mas ele é consequência das ações realizadas por pessoas e processos. O bom gestor financeiro é aquele que não só entende isso, mas consegue estar mais próximo de onde as mudanças realmente acontecem.

Sebrae Minas Regional Zona da Mata e Vertentes

Sebrae Minas Regional Zona da Mata e Vertentes

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia