Tópicos em alta: eleições 2018 / chuva / polícia

Existe sorte no mundo dos negócios?

Todo negócio está sujeito às oscilações do mercado e justamente por não conseguir controlar tudo, o empresário deve monitorar os acontecimentos, evitando que o seu resultado dependa exclusivamente deles

Por Bruno Rodrigues Faria, analista do Sebrae Minas

10/07/2018 às 09h01 - Atualizada 10/07/2018 às 09h05

Sim, sorte e azar são elementos naturais da nossa vida. Fazem parte do cotidiano. No mundo dos negócios, também estão presentes e, no geral, isso não é um problema. A grande dificuldade é quando confiamos o sucesso ou fracasso do nosso negócio exclusivamente ao “fator sorte”.

Sorte pode ser entendida como um evento improvável e imprevisto, que independe da nossa intenção e afeta os nossos resultados, sem levar em conta as nossas ações. Ou seja, é algo que foge ao nosso controle e impede uma ação preventiva ou reação imediata.

No mundo dos negócios, porém, eventos desse tipo são raríssimos. Por exemplo, um empresário que compra produtos importados pode culpar a má sorte quando o dólar aumenta, contudo, a variação da moeda não só pode ser acompanhada dia a dia, como ser entendida e até, em alguns casos, prevista. Isso dá chance ao empresário de se movimentar, criar ações diferentes e mudar sua estratégia. Entender essa diferença é o que leva muitos negócios a obterem sucesso, independentemente do momento que vivemos.

O conteúdo continua após o anúncio

Ter sorte e azar não são a mesma coisa que aproveitar oportunidades e combater ameaças. Todo negócio está sujeito às oscilações do mercado e justamente por não conseguir controlar tudo, o empresário deve monitorar os acontecimentos, evitando que o seu resultado dependa exclusivamente deles. Afinal, se a empresa é sua, o resultado tem que ser consequência das decisões que você toma. Se você passa a depender da sorte, o negócio se transforma em uma loteria.

A mudança de mentalidade é fundamental para ter sucesso e se adaptar ao momento. Separamos cinco dicas valiosas para diminuir essa dependência:

  • Utilize a matriz F.O.F.A. periodicamente. Ela ajuda a monitorar o ambiente em que seu negócio se situa, facilitando perceber o momento por qual a empresa passa e ajudando no planejamento estratégico das ações;
  • Mantenha-se atualizado sobre o mercado! Acompanhar as tendências do setor em feiras, revistas e sites especializados permite antecipar mudanças que vão ocorrer em breve. Quem se informa primeiro não perde as melhores oportunidades;
  • Troque informações com outros empresários. Muitas vezes, é difícil acompanhar sozinho tudo o que acontece, logo, um bom networking ajuda a unir percepções diferentes sobre o que está acontecendo fora da sua empresa;
  • Monitore de perto o seu cliente! Muitas mudanças partem do consumidor e, quanto mais sabemos sobre ele, menores são as chances de as mudanças passarem despercebidas por nós;
  • Assuma a responsabilidade pelo sucesso e pelo fracasso! É muito cômodo atribuir um resultado ruim ao “azar”. O papel do empreendedor é absorver esses erros (que vão acontecer, eventualmente) e ser o primeiro a mudar o seu comportamento.

Estes são os primeiros passos para que o seu desempenho dependa mais de você. E pergunte-se sempre: até que ponto o meu negócio depende da sorte? O que eu posso fazer hoje para que o meu resultado dependa mais das minhas ações?

Sebrae Minas Regional Zona da Mata e Vertentes

Sebrae Minas Regional Zona da Mata e Vertentes



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia