Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Saiba tudo sobre o colágeno

Por Alice Amaral

21/07/2021 às 11h18 - Atualizada 21/07/2021 às 11h19

O Colágeno é a principal proteína do corpo humano. Ela corresponde a 30% de todas as proteínas e é essencial para o organismo, já que protege as articulações, os músculos e garante a a firmeza e elasticidade da pele.

Ele é constituído de cadeias de aminoácidos como a glicina, prolina, lisina, hidroxilisina, hidroxiprolina e alanina, além de ser a proteína mais abundante no corpo humano e persiste por toda a vida, em renovação.

A partir dos 30 anos, a produção do colágeno cai muito e após os 50, essa queda se torna mais acentuada, favorecendo o aparecimento das linhas de expressão e das rugas; flacidez, diminuição da elasticidade da pele, ficando mais fina e desidratada. Além disso, as unhas ficam fracas, diminui a espessura dos fios de cabelo, ocorre o enfraquecimento dos ligamentos e articulações (favorecendo o aparecimento tendinite) e perda de massa muscular.

Existem vários tipos de colágenos. Os principais são:

Tipo 1:  o mais comum, presente nos dentes, ossos, tendões e na pele. Ele também tem um importante papel na saúde dos cabelos e das unhas.

Tipo 2: presente nos discos intervertebrais, nos olhos e cartilagens. Muito indicado no tratamento de artrose.

Tipo 3: é o segundo mais abundante no nosso corpo e o primeiro que deixamos de produzir naturalmente. É encontrado na pele, nas artérias, no intestino, no útero, no fígado, no baço e nos rins.

Resumindo, o tipo 1 e o tipo 3 predominam na pele e nos ossos e o Tipo 2,  na cartilagem das articulações.

Existem fatores que vão diminuir a produção do colágeno além da idade e da herança genética, as alterações hormonais, o stress, a poluição, o dormir mal, abuso da exposição solar, fumo, uso excessivo de bebidas alcoólicas e a alimentação (principalmente a rica em doces).

As principais fontes de colágeno na alimentação são: as carnes, caldo de ossos e ovos.

Abaixo, indico uma receita saborosa e rica em colágeno.

O conteúdo continua após o anúncio

Caldo de pé de galinha

1 kg de pé de galinha sem unha

1 colher de sopa de sal marinho

2 colheres de sopa de açafrão

2 cebolas de tamanho médio

Leve ao fogo para cozinhar por cerca de 30 minutos e bom apetite.

Além desses, é preciso consumir alimentos que vão aumentar a absorção do colágeno, como os ricos em Vitamina C= frutas cítricas, vermelhas e vegetais verde-escuros;

Vitamina E = abacate, semente de girassol, castanhas, amêndoas e nozes;

Vitamina A= cenoura, manga e mamão;

Ricos em licopeno = tomate, goiaba vermelha e pitanga;

Ômega 3= azeite de oliva extravirgem e semente de linhaça;

A suplementação de colágeno é bastante controversa, mas cada vez mais artigos mostram os benefícios do uso do colágeno oral. Um estudo na Universidade de Charles, na Republica Tcheca aponta que o colágeno combateu o desgaste articular em mais de mil mulheres com artrose de joelho. Outro trabalho do departamento de dermatologia do Hospital L’Archet, na França, destaca que o colágeno devolve a firmeza, hidratação e atenua as rugas.

Nós sabemos que ele é importante na regeneração e cicatrização cutânea, para a elasticidade da pele, para a flacidez cutânea e muscular, para aumentar o crescimento de cabelos e unhas, proteger os ossos, as articulações, prevenir osteoporose, fortalecer os tendões de ligamento, prevenir o envelhecimento da pele e também para a saúde do intestino.

Por essa e outras razões, após os 40 anos de idade, além dos cuidados com a alimentação, vale a pena pensar em se fazer uma suplementação com o colágeno.  Lembrando que é preciso procurar o seu médico.

Alice Amaral

Alice Amaral

Médica - Título de Especialista em Nutrologia – RQE 9884 - Título de Especialista em Medicina do Esporte – RQE 9895 - Título de Medicina Física e Reabilitação - RQE 44090

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia