Tópicos em alta: eleições 2022 / coronavírus / vacina / polícia / obituário

Alimentação no verão

Por Alice Amaral

06/01/2022 às 16h11 - Atualizada 06/01/2022 às 16h15

A estação mais quente do ano chegou e é preciso ajustar a dieta para manter o corpo saudável. Para que isso ocorra é fundamental cuidar da alimentação e, principalmente, da hidratação, para evitar mal estar.

No verão ocorre uma diminuição do metabolismo basal, que é a energia gasta para manter as funções vitais. O nosso metabolismo basal está diminuído em relação ao inverno, época em que o metabolismo fica mais acelerado para manter o corpo aquecido. Por isso, a necessidade calórica no verão deve ser reduzida, mas temos que ficar atentos para evitar jejuns prolongados, já que o calor inibe a fome. A ausência de fome não significa que devemos ficar sem comer, pelo contrário, a alimentação deve ser regular, com refeições menores e mais frequentes.

É importante ressaltar que o calor aumenta a perda de líquidos e minerais, devido à transpiração excessiva. Além disso, ele provoca o aumento da temperatura corporal, que prejudica a circulação sanguínea e ajuda na retenção de líquidos, além de causar náuseas, tonteiras, desmaios, cãibras e cansaço.

A digestão também fica mais lenta, porque o estômago recebe menos energia que é enviada pelo cérebro para os outros órgãos, para manter a temperatura corporal. Por isso, manter hábitos saudáveis é a chave para garantir o bem-estar no verão.

Alimentação

Temos que investir em alimentos de fácil digestão, de preferência que possam ser consumidos sem serem aquecidos. Escolha alimentos mais leves e ricos em água, como a melancia e melão.

O conteúdo continua após o anúncio

Utilize verduras, legumes e carnes magras, principalmente o peixe. A carne vermelha deve ser evitada, pois ela apresenta uma digestão mais lenta.

Hidratação

Aumentar a ingestão de líquidos deve ser a principal preocupação neste período. Não espere sentir sede, pois quando isso acontece o seu corpo já está desidratado. Uma boa opção é a água de coco natural e os chás gelados.

A desidratação pode alterar o funcionamento do organismo e causar diminuição da pressão arterial; alteração no coração e nos rins; perda da coordenação motora, confusão mental e até a morte.

Importante também não fazer refeições pesadas, principalmente à noite e evitar o abuso de sal (que aumenta a retenção líquida), os refrigerantes (contêm muito açúcar, aditivos químicos e zero de valor nutricional), não abusar de bebidas alcoólicas (elas aumentam a desidratação e o acúmulo de gordura corporal), não fazer uso de alimentos ultra processados, evitar maioneses e molhos (as altas temperaturas favorecem a proliferação bacteriana, aumentando o risco de gastroenterite e intoxicação alimentar).

Devemos usar roupas leves, confortáveis e tecidos que favoreçam a transpiração, de preferência, de cor clara.
Se possível use tecidos de proteção UVA/UVB para fazer exercícios físicos.

Use filtro solar, óculos, boné e, se possível, escolha um horário em que o sol está mais ameno e evite bebida alcoólica no pós-treino.

Alice Amaral

Alice Amaral

Médica - Título de Especialista em Nutrologia – RQE 9884 - Título de Especialista em Medicina do Esporte – RQE 9895 - Título de Medicina Física e Reabilitação - RQE 44090

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia