Tópicos em alta: coronavírus / vacina / tribuna 40 anos / polícia / obituário

Transforme o décor com papel de parede

O papel de parede é um item decorativo que vem ganhando cada vez mais destaque na arquitetura de interiores, seja para renovar uma parede, esconder um acabamento indevido ou personalizar um pequeno espaço. Ele é capaz de dar um "up" no décor, investindo em pouco tempo para sua aplicação!

Por Aletheia Westermann

29/08/2021 às 07h00 - Atualizada 27/08/2021 às 18h25

A história do papel de parede

A origem do papel de parede nos remete à China, onde, inicialmente, era produzido à base de arroz, sem ornamentos e totalmente branco. Mais tarde, o papel de parede passou a ser manufaturado com pergaminho vegetal e, a partir desta inovação, foram incluídos elementos decorativos, de maneira artesanal. No entanto, o papel de parede era considerado um item luxuoso, presente em palácios e ambientes de ricos comerciantes.
Através dos comerciantes árabes, o papel de parede chegou à Europa no século 16 e passou a substituir as telas e tapeçarias na decoração das paredes, janelas e portas. Artesãos europeus, especialmente franceses, iniciaram sua própria criação dando origem a uma padronagem tipicamente europeia. A primeira fábrica de papel de parede surgiu na França, em 1630, permitindo que este material se tornasse um pouco mais acessível.
No Brasil, o papel de parede desembarcou no final do século 19, e a partir dos anos 1960 passou a conquistar os brasileiros, figurando em diferentes projetos arquitetônicos. Entre suas principais qualidades se destacam: rapidez e facilidade de aplicação, resistência e durabilidade, além das texturas e padronagens.

Escolha do papel de parede

A escolha do papel de parede vai depender do cômodo e, é claro, do gosto e necessidade do cliente. Existem os mais variados tipos de papel de parede, com estampas para todas as situações. O papel de parede pode ser utilizado para criar e renovar objetos, e também pode ser aplicado em diferentes locais, como o teto, molduras das paredes ou mesmo como um quadro.
O papel de parede pode ser usado em ambientes como salas, quartos, varandas e corredores, como também em áreas molhadas como cozinhas, banheiros e lavandeiras porque já existem no mercado opções vinílicas que têm como principal característica a alta resistência à água.

Variedade

O papel de parede pode tornar um ambiente sem graça em algo moderno, agradável, cheio de estilo e personalidade. A grande variedade de papéis de parede disponível no mercado permite composições coloridas e alegres que transformam completamente a decoração dos cômodos, desde o lavabo até a sala de jantar.

O conteúdo continua após o anúncio

Você pode aplicá-lo em apenas uma parede, para conferir destaque, ou em todas as paredes do cômodo. A regra básica é deixar tudo em harmonia. Outra opção é apostar em tons neutros para todas as paredes, deixando o destaque para os móveis e objetos de decoração.
Já o papel de parede texturizado imita texturas reais, como madeira, pedras, areias, flores, ferrugem, e inúmeros outros objetos e ambientes naturais. No seu toque, pode-se perceber uma leve textura, diferente de outros papéis de parede que são lisos.
Para quem adora passar um tempo na cozinha, papéis de parede temáticos ou em lousa que permitem ilustrações e escritas são ótimas apostas para personalizar o ambiente.

No lavabo é possível ousar um pouco mais e investir em um modelo colorido e rico em detalhes, para dar destaque e deixar as visitas com aquela sensação de “uau”!

Já os quartos requerem ambientes mais aconchegantes e pedem papéis de parede que transmitam serenidade e tranquilidade. Os quartos infantis, no entanto, podem ser repletos de magia e imagens lúdicas que expressem bem as personalidades dos ocupantes.
Até mesmo as áreas de serviço podem receber um revestimento especial, preenchendo estes espaços com charme e personalidade.

Curtiu esta coluna? Veja mais em nosso site www.aletheia.com.br

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade pelo seu conteúdo é exclusiva dos autores das mensagens. A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros. Mensagens de conteúdo homofóbico, racista, xenofóbico e que propaguem discursos de ódio e/ou informações falsas também não serão toleradas. A infração reiterada da política de comunicação da Tribuna levará à exclusão permanente do responsável pelos comentários.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia