Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / polícia / eleições 2020 / bolsonaro

5 livros para Amantes de Vinho e da Literatura

Por Etiene Carvalho

25/04/2020 às 10h20 - Atualizada 25/04/2020 às 10h20

Você é amante de vinho e da literatura? Então, provavelmente, já conhece alguns dos livros listados abaixo. Se já leu todos, ótimo! Se não leu, aproveite a quarentena para ler pelo menos um deles. Selecionei cinco bem interessantes e fiz um pequeno resumo sobre cada um deles. Uma boa ideia, inclusive, é comprar esses livros na estante virtual, que é um sebo de livros na internet com preços bem simbólicos.

Robert Parker - O Imperador do Vinho

Robert Parker – O Imperador do Vinho

Ellin McCoy, Campus Elsevier, 408 páginas
Robert Parker, atualmente aposentado, é considerado um dos críticos de vinhos mais influentes do planeta. O livro conta sua trajetória desde quando era advogado em Baltimore e fala do momento em que se apaixonou pelo vinho, depois de uma viagem para a França. Cansado de não ter boas referências para compras, decidiu revolucionar a forma como os rótulos eram avaliados – tornando tudo o mais objetivo possível. Além de explicar como ele foi capaz de influenciar o gosto dos vinhos, a obra apresenta curiosidades pouco conhecidas sobre sua trajetória.

Vinho e Guerra

Vinho e Guerra

Editora Zarzar. 254 páginas.

Neste livro, Don e Petie Kladstrup, casal de jornalistas americanos, trazem uma narrativa da saga de tradicionais famílias de vinicultores franceses que impediram os nazistas de roubar um de seus símbolos mais genuínos – o vinho. Usando das incríveis artimanhas como a construção de paredes com teias de aranha para esconder safras preciosas, sabotagem de trens que transportavam vinho para a Alemanha, os produtores de vinho formaram uma espécie de Resistência paralela a fim de proteger a economia da França e preservar um de seus prazeres mais inebriantes e diletos.

O Julgamento de Paris

O Julgamento de Paris

Editora Campus – 380 páginas

O conteúdo continua após o anúncio

História da mítica degustação de Paris ocorrida em 1976, contada pelo único jornalista presente no evento. Nela, um grupo de experts franceses comparou alguns dos mais famosos vinhos franceses, numa degustação cega, com uma nova geração de vinhos californianos. Eles não sabiam que aquele resultado, uma “vitória” dos vinhos da Califórnia, transformaria completamente o mercado de vinho, dando início a uma idade de ouro para a vinicultura, que estende o mundo do vinho para além dos sacramentados limites da França.

A viúva Clicquot

A Viúva Clicquot

Editora Rocco, 304 páginas

A história da fundadora de uma das casas de champanhe mais famosas do mundo é contada em A Viúva Clicquot. Graças a um extenso trabalho de pesquisa, a autora Tilar J. Mazzeo nos mostra que, nos séculos XVIII e XIX, Barbe-Nicole Clicquot Ponsardin foi uma das primeiras mulheres a liderar um império comercial internacional, sob a marca Veuve Clicquot. Sem medo de arriscar a própria independência financeira, ela fez do produto que vendia um sinônimo de luxo e tornou-se uma lenda na França.

Champagne

Champagne – Como os mais sofisticados dos vinhos venceu a guerra em tempos difíceis

Editora Zarzar. 254 páginas.

Em uma narrativa emocionante, Don e Petie Kladstrup – autores do best-seller internacional Vinho & Guerra – envolvem o leitor na surpreendente saga do champanhe, o vinho mais sofisticado do mundo. Associado ao glamour, à amizade e a grandes celebrações, ele oculta uma história de sofrimento e coragem. Desde a violenta invasão de Átila, rei dos hunos, à barbárie da Segunda Guerra Mundial, os autores revivem a trajetória do champanhe e da região onde ele é produzido.

 

Etiene Carvalho

Etiene Carvalho

Etiene Carvalho é jornalista, especialista em Comunicação Digital pela Universidad de Alcalá (Espanha). Nível 3 Wine and Spirits Education Trust (WSet), Especialista em Vinhos da Califórnia (CWAS) e Sommelier Avançado Federazione Italiana Sommelier Albergatori Ristoratori (Fisar).

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia