Tópicos em alta: eleições 2018 / chuva / polícia

10 Dicas Para Degustar e Determinar o Equilíbrio de Um Vinho Tinto

Por Etiene Carvalho

21/12/2017 às 13h45 - Atualizada 21/12/2017 às 13h48

Saber observar, analisar e determinar os aspectos de um vinho é essencial para qualquer amante dessa maravilhosa bebida. Empregando essas dicas você poderá, com um pouco de prática, degustar e determinar se o rótulo que você está consumindo é equilibrado ou não.

Mas, antes, entenda o que é um vinho equilibrado: Diz-se que um vinho está em equilíbrio quando mostra bom aspecto visual, aromático e gustativo – apresentando nesse último aspecto tanino, álcool, doçura e acidez em sintonia. Logo, vinho equilibrado é o que está pronto para ser bebido.

os-melhores-vinhos-tintos-do-douro-1

Então, Como determinar o equilíbrio de um Vinho?

O conteúdo continua após o anúncio

Para apreciar um vinho, ele deve ser servido, de preferência, em uma taça lisa de cristal ou vidro fino e que não seja colorida.

  • Coloque o vinho em uma taça (servindo apenas 1/3 de sua capacidade) e observe sua cor e aparência, examinando o brilho e a transparência do vinho, primeiro olhando de cima da taça, através da luz ou contra um fundo branco, com a taça ligeiramente inclinada. Por exemplo, os vinhos muitos novos, em geral, tendem aos matizes violáceos (violetas); um vermelho vivo no tinto, nos dará a idéia de um certo grau de evolução. Já os mais desenvolvidos tendem aos matizes marrons, atijolados e  até alaranjados.
examinando o brilho e a transparência do vinho, primeiro olhando de cima da taça, através da luz ou contra um fundo branco, com a taça ligeiramente inclinada
Examine o brilho e a transparência do vinho contra um fundo branco ou com a taça ligeiramente inclinada
  • Faça um movimento giratório com a taça e observe no bojo formação de estrias (pernas ou lágrimas): normalmente sua grossura e número indicam a graduação alcoólica do vinho, se as estrias são grossas e separadas e descem lentamente, seu  teor alcoólico tende a ser maior que quando são finas e delgadas.
Normalmente a grossura e número de pernas ou lágrimas no bojo da taça indicam a graduação alcoólica do vinho.
  • Use seu nariz e tente perceber as fragrâncias e perfumes. A fim de obter a melhor oxigenação do líquido, em seguida,  agite a taça de forma circular. Logo, volte a sentir os aromas e perceba o quanto eles irão se dissipar melhor.

 

  • Beba um pequeno gole, mantendo o vinho na boca até que amorne. Mova o vinho devagar dentro da boca, ajudando com pequenos movimentos da língua.
  • Faça com que o vinho molhe todo o palato, tratando de descobrir a acidez, doçura ou amargor;
  • Se concentre em suas sensações;
  • Entreabra os lábios permitindo que penetre na boca uma pequena quantidade de oxigênio, cuidando para que o vinho não caia;
  • Faça com que o vinho passeio dentro de toda sua boca, percorrendo céu da boca, dentes, língua e gengiva;
  • Avalie a harmonia geral da bebida, ou seja, se manteve um equilíbrio em todos os seus atributos (visuais, olfativos, etc). Esta prova degustativa permitirá analisar o aroma, a sanidade e a maturação do vinho. O conjunto deste exame constitui o que se chama “Análise Organoléptica”.
  • Este é um exercício lhe permitirá analisar, não só a qualidade do vinho, mas melhorará sua capacidade para fazer combinações com diferentes alimentos.

Queijo-e-Vinho-ar-livre

Não se esqueça que algo extremamente importante para esse exercício é o uso da TAÇA correta, como já comentei no início do post. Veja o artigo “Com que taça eu vou?” e tire maior proveito do seu vinho. Aprenda, inclusive, o porquê de Vinho Branco e Tinto serem servidos Taças Diferentes.

Etiene Carvalho

Etiene Carvalho

Etiene Carvalho é jornalista, especialista em Comunicação Digital pela Universidad de Alcalá (Espanha). Nível 3 Wine and Spirits Education Trust (WSet), Especialista em Vinhos da Califórnia (CWAS) e Sommelier Avançado Federazione Italiana Sommelier Albergatori Ristoratori (Fisar).



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia