Tópicos em alta: delivery jf / eleições 2020 / coronavírus / greve / polícia

Correr na esteira ou na rua? O que é melhor?

Por Luiz Henrique Fernandes

18/02/2020 às 15h45 - Atualizada 18/02/2020 às 16h22

É muito fácil encontrar pessoas que praticam corrida e comentam a respeito das vantagens e desvantagens de um treino na rua, comparado ao treino na esteira.

Sobre este questionamento, vários estudos mediram e constataram que a atividade muscular é igual na corrida na esteira ou na rua, e com isso, outros fatores serão responsáveis pela escolha de cada um.

Levando em conta a questão prática, se você é daqueles que prefere não se expor ao sol escaldante, ao frio extremo ou ao risco de pegar uma chuva durante o seu treino, prefira a esteira. Se a questão é a falta de tempo para se deslocar até um local de treinos, ou se você não quer depender de um GPS e um relógio para determinar sua velocidade e parâmetros de treino, a esteira também é a melhor opção pra você.

Agora, se você prefere algo mais dinâmico, como a mudança constante de visual durante os treinos, oportunidade de realizar subidas e descidas, variação de terrenos como: asfalto, terra, concreto, pedras, areia, grama, entre outros, os treinos outdoor são as melhores opções para você.

Com relação à resposta do corpo em termos do impacto gerado pela atividade, tudo vai depender no caso de um treino na esteira, por exemplo, do modelo do equipamento, do calçado utilizado e da técnica de corrida de cada praticante. De maneira geral, as esteiras possuem um mecanismo próprio de absorção de impacto reduzindo-o levemente. Fora da esteira, cada tipo de terreno vai gerar um impacto diferente, mas no geral, podemos dizer que o concreto é o piso que menos absorve o impacto, seguido pelo asfalto, depois pela terra batida, grama e por último, na areia fofa. Por estes motivos é que pessoas com problemas articulares são orientadas a se exercitarem na esteira e de preferência utilizando tênis com amortecimento.

O conteúdo continua após o anúncio

A constância das características do terreno em um treino na esteira pode tornar o treino mais confortável, pois, o piso não muda, e não há interferências que podem ocorrer na rua como buracos, sobressaltos e pedras, além de não ser escorregadio e permanecer sempre igual. Em contrapartida, o risco de lesão do praticante que treina apenas na esteira pode ser aumentado para quando ele decide fazer algum treino na rua, visto que as mudanças de situações e adaptações do corpo são constantes em treinos ao ar livre. Os treinos em superfícies irregulares possibilitam que treinemos o nosso corpo para se ajustarem, rapidamente, às mudanças do terreno, e fazendo com que possamos nos adaptar de forma constante. Isto faz com que o corpo esteja sempre alerta e mais protegido, comparado a aquele que não é submetido a experiências variadas.

O movimento da corrida tanto na esteira quanto na rua é muito parecido, mas não é completamente igual. Na esteira o corredor tende a dar passos mais curtos, aumentar o número de passos por minuto (cadência) e tocar mais com a parte central do pé (mediopé), o que na corrida de rua a aterrissagem com o calcanhar pode ser observada mais constantemente. O movimento da perna para trás (extensão do quadril) é maior na esteira e a amplitude de movimento do joelho também. Esses pontos fazem parte da descrição de uma corrida mais eficiente.

Com relação à questão de treinar apenas na esteira para realizar provas de corrida de rua, deve-se lembrar que o treino deve ser o mais próximo possível da tarefa a ser executada. Correr na rua envolve fatores que não estão na esteira, como dividir a atenção com o ambiente, irregularidades do terreno, controlar a velocidade da corrida e ter que executar mais força de propulsão. Esses pontos também devem ser treinados especificamente no solo, o que fica mais difícil quando se treina apenas na esteira.

A esteira é uma ótima opção para refinar o movimento da corrida e em processos de reabilitação. Mas tudo o que for aprendido nela deve passar por uma transição para poder ser executado também em terreno firme.

O que não se pode esquecer nunca é de que para iniciar qualquer tipo de atividade física, o professor de educação física deve ser sempre consultado, a fim de se obter a orientação necessária para uma prática esportiva eficiente e segura, feito isso, é só desfrutar dos benefícios que a atividade física pode proporcionar.

Para mais informações, outros assuntos, dicas e para conhecer melhor o meu trabalho, acesse o meu Instagram.  Grande abraço e até a próxima!

Luiz Henrique Fernandes

Luiz Henrique Fernandes

O Professor Luiz Henrique Fernandes (CREF 6 MG - 016003) é Bacharel e Licenciado em Educação Física, Pós Graduado em Aspectos Biodinâmicos do Movimento Humano. É o professor responsável técnico do Studio Luiz Henrique Personal Trainer localizado no bairro São Pedro, onde trabalha com o treinamento funcional e suas vertentes, além de treinamento de corrida, treinamento de força, emagrecimento e condicionamento físico geral, sempre com foco na saúde e qualidade de vida das pessoas. Luiz Henrique também atua como palestrante, levando vários assuntos relacionados à sua área de atuação à instituições de ensino e empresas da região.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia