Tópicos em alta: polícia / carnaval 2019 / barragem / campeonato mineiro

Refúgio urbano: objetos de arte e plantas decoram em harmonia

Por Luiz Henrique Duarte

04/11/2018 às 23h42 - Atualizada 05/11/2018 às 17h40

Os refúgios urbanos residenciais podem ser compostos através de objetos de arte expostos estrategicamente, como algumas espécies clássicas de plantas que voltam a moda. As diferentes texturas e “os tons mais sóbrios, móveis com traços limpos e as obras de arte foram combinados para criar um ambiente aconchegante”, explica o designer de interiores Luiz Duque e autor do projeto. O verde, prevaleceu em vários detalhes para propagar o equilíbrio, frescor e harmonia, expostos em cachepôs decorativos sobre as prateleiras da estante com estrutura em metal e mesas de apoio periféricas. “Criei um espaço neutro, para valorizar as obras de arte e o verde das plantas”, diz o designer. Este refúgio atemporal, elegante e sofisticado é  “voltado para o dia a dia de um casal jovem”, enfatiza o profissional. Atualmente, o verde integra a maioria dos espaços, pois, “as plantas apresentam várias texturas, enfeitam e humanizam os ambientes como elementos de decoração”, relata a paisagista Cláudia Tabet.

Objetos de arte e plantas

 Arte e plantas

Os objetos de arte podem estar presentes em várias esculturas e quadros, remetendo ao colecionismo contemporâneo para compor uma galeria de arte”, pontua a paisagista, que executou a ornamentação verde. Os revestimentos das paredes do living principal recebem aplicações em mármore calacata, valorizando todos os itens do mobiliário. “Os ambientes podem ser compostos com móveis lindos, peças de viagens e tapetes, mas o verde é fundamental, ele traz o acolhimento e o carinho”, descreve Cláudia.

Esculturas e o verde

  A arte é revigorante, avassaladora e articula inúmeras possibilidades de ser integrada aos projetos da arquitetura de interiores, porém as  plantas apresentam o empoderamento de valorizar os cenários decorados trazendo vida. “Sentimos que o verde traz a alma e o coração para dentro dos lugares”, conclui a paisagista. O conjunto de mesas ornamentais da sala de estar recebe espécies de cactus, renda francesa, jibóias e suculentas. Os vasos de samambaias e patas-de-elefante traduzem um discreto colorido tropical, como o bouquet natural sobre o aparador, reunindo uma composição elaborada de antúrios, dracena tricolor e pleomele variegata.

Espécies decoram

Refúgio urbano

O conteúdo continua após o anúncio

  As plantas precisam ser escolhidas de acordo com cada ambiente”, existem espécies que se adaptam a espaços escuros, sem luminosidade, e outras a uma casa ensolarada”, ensina a paisagista. “Para compor um projeto, mesclando espécies variadas, é preciso saber do conceito do espaço e se gostam de plantas”, completa Cláudia. Se o colecionador tem muitas peças de arte pequenas, o verde entra equilibrando e pontuando para valorizar as obras em seu todo. Os refúgios urbanos pedem uma iluminação intimista e itens que remetam à sensação de bem-estar, sejam para ambientes de qualquer dimensão, onde “a mistura de materiais é a grande aposta”, finaliza Duque, referindo-se aos revestimentos utilizados neste espaço de aproximadamente 24 metros quadrados.

Mesa de centro com um mix verde

Ficha técnica:

Projeto: Luiz Duque, designer de interiores (Ambientes Assinados – Conceito Sier)

Paisagismo: Cláudia Tabet (Jardins com Arte)

Fotos: Casa Arrumada e Gal Oliveira

Luiz Henrique Duarte

Luiz Henrique Duarte

Sou bacharel em direto, designer de interiores graduado, jornalista apaixonado por arte clássica e contemporânea, arquitetura e tudo relacionado à estética espacial dos ambientes e do bem viver.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia