Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / polícia / eleições 2020 / bolsonaro

Feng Shui, a casa em equilíbrio

Espaços saudáveis em plena harmonia com a técnica aplicada no design de interiores

Por Luiz Henrique Duarte

03/05/2020 às 06h52 - Atualizada 29/04/2020 às 21h48

Ocorre uma busca para encontrar o equilíbrio e a harmonia em casa. Com o isolamento social, surgem novos valores, hábitos e costumes. A técnica tradicional chinesa do Feng Shui, em que os termos significam vento e água, apresenta o objetivo de melhorar a energia vital dos moradores harmonizando os ambientes. O fluxo energético dentro do design de interiores é observado através de elementos decorativos, móveis e objetos. Os ambientes mais leves e fluidos tornam-se mais agradáveis e acolhedores. É preciso eliminar o excesso de adornos, itens deteriorados, espelhos e peças quebradas, desde que não estejam adequados para o espaço. A analogia é realizada por designers profissionais, estudiosos sobre o assunto ou tutoriais disponíveis em sites. A energia dos ambientes é designada de ” chi “. Uma setorização e posicionamento adequado dos móveis, além da indicação do uso de cores, reflete no comportamento e no humor dos moradores da casa. Essa respeitada ferramenta também é aplicada para espaços corporativos, visando a tornar os ambientes empresariais mais produtivos.

O conteúdo continua após o anúncio

Equilíbrio e harmonia

O Feng Shui ajusta a estrutura física dos ambientes projetados, incluindo pequenas correções no posicionamento do mobiliário, exposição de flores e plantas no melhor estilo urban jungle e sugestões analíticas de cores para criar aconchego e acolhimento. Os espelhos próximos à porta de entrada permitem que a energia circule e são ótimos para ampliar o hall. Para os quartos, segundo a técnica, as cabeceiras devem ficar encostadas nas paredes sem janelas. As almofadas e rouparia de cama em tons neutros estimulam as noites tranquilas de sono. Evite aparelhos eletrônicos, material de trabalho ou estudo em mesas laterais próximas às camas. Os sofás das salas de estar são posicionados em frente à porta principal, mostrando receptividade. O layout formando um U ou L permite a comunicação entre as pessoas. O fogão deve ser posicionado um pouco distante das bancadas e cubas de cozinhas, quando o espaço permite.

Cores e objetos

A paleta de cores é aplicada de acordo com o estilo de decoração, hábitos pessoais e personalidade dos moradores. Podem ser usadas até em adornos, estampas ou revestimentos de almofadas. O amarelo representa o elemento terra, ligado à estabilidade e ao poder. Também é usado para destacar detalhes em escritórios e estimular a concentração. O azul está relacionado com tranquilidade e sabedoria. O vermelho é a metáfora do elemento fogo, reflete energia, vitalidade. Não é recomendado para quartos. O rosa millennial corresponde ao amor, e o verde é a renovação das energias. O cinza é uma cor muito utilizada em projetos contemporâneos e exalta o equilíbrio entre os opostos. As velas representam o elemento fogo, e a cerâmica, a terra. O artesanal, barro, formas orgânicas, madeiras e texturas representam a conexão e integração dos elementos naturais, que é a grande tendência na decoração de interiores. Neste momento caótico, a casa é o maior patrimônio.

H7 6 LH9 LH5 12 LH11 LH1
<
>

Ficha técnica

Cenário: Conceito Sier e Dommanni Alta Decoração
Fotos: Casa Arrumada e arquivo de marketing
Produção: Luiz Henrique Duarte e equipe técnica

Luiz Henrique Duarte

Luiz Henrique Duarte

Sou bacharel em direto, designer de interiores graduado, jornalista apaixonado por arte clássica e contemporânea, arquitetura e tudo relacionado à estética espacial dos ambientes e do bem viver.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia