Tópicos em alta: polícia / campeonato mineiro / bolsonaro

Evento mundial sobre ozonioterapia traz novidades

Por Alice Amaral

10/12/2018 às 10h33 - Atualizada 10/12/2018 às 10h33

Em novembro deste ano, a cidade de Guangzhou, na China, recebeu o The 6th World Ozone Therapy Conference, um evento mundial que reúne profissionais de vários países e diversas especialidades médicas interessadas no desenvolvimento de novas técnicas e também aprimoramento nas aplicações de Ozonoterapia.

O evento ocorre a cada dois anos e é sediado no país do atual presidente da World Federation of Occupational Therapists – WFOT, sendo um grande momento para troca de experiências e aprendizado. Inclusive, um grupo de participantes fez uma visita técnica monitorada nas instalações médicas de um hospital público da China, que utiliza a ozonioterapia. Vale ressaltar que na China, a ozonioterapia é mais uma condição de tratamento oferecida pelos órgãos públicos de saúde, que contam com profissionais devidamente capacitados e com equipamentos e infraestrutura modernos.

Para ilustrar o assunto devemos lembrar que o gás ozônio é conhecido desde o século 19. A descoberta foi feita pelo doutor Christian Friedrich Schoenbein, químico que fazia experiências sobre a eletrólise da água na Universidade de Basileia, em 1840. Em seguida, o doutor Werner Von Siemens, inventor e industrial alemão, desenvolveu o Gerador de Alta Frequência, que vem a ser o equipamento que forma o gás ozônio por meio de descargas elétricas em átomos de oxigênio, muito utilizando pelos médicos alemães e ingleses na 1ª Guerra Mundial para tratar feridas dos soldados e com isso evitar inúmeras amputações.

O conteúdo continua após o anúncio

O ozônio tem uma ação germicida (age contra bactérias, fungos e vírus), anti-inflamatória, analgésica, estimula o sistema imunológico, aumenta a oxigenação nos tecidos e melhora a circulação. A ozonioterapia é indicada no tratamento de doenças degenerativas, isquêmicas, infecções, inflamatórias, auto-imunes, metabólicas, câncer, patologias da coluna, lesões do esporte. A imunidade da pessoa pode ser melhorada, o que acarretará proteção contra agressões e garantirá uma melhor condição de saúde. A prevenção é uma forma eficiente de evitar outras complicações e aumento de custos em tratamentos de saúde.

Existem formas de administração do ozônio: aplicação intramuscular, subcutânea, insuflação retal, intra-articular, hidrozonoterapia, venosa, “bagging”, nesse caso é feita aplicação do gás diretamente no local indicado envolto em um saco plástico; bem como doses e concentrações. Cada caso requer um tratamento singular e direcionado às condições específicas do paciente.

A ozonioterapia é um tratamento especializado, por isso segue um conjunto de normas, regras e protocolos; as instalações, máquinas e equipamentos devem estar em boas condições. Pessoal técnico habilitado e constante treinamento também visam garantir os melhores resultados. Pesquisas estão sendo desenvolvidas e no futuro poderemos contar com novas indicações para a utilização do ozônio.

No evento estavam presentes representantes de entidades médicas de diversos países e foram apresentados trabalhos que mostram a importância do ozônio no tratamento de feridas, hérnia de disco e outras patologias, como: tuberculose, osteomielite, diabetes, esclerodermia, dermatite atópica.

Alice Amaral

Alice Amaral

- Título de Especialista em Nutrologia – RQE 9884 – Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Nutrologia . - Título de Especialista em Medicina do Esporte – RQE 9895 – Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte . - Pós Graduação em Medicina Física e Reabilitação – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – R.J. - Formação Médica em 1983

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia