Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / polícia / eleições 2020 / bolsonaro

Clima invernal

Lareiras deixaram de ser objetos inacessíveis e estão presentes em qualquer lugar, mesmo em moradas menores

Por Aletheia Westermann

24/05/2020 às 06h45 - Atualizada 22/05/2020 às 18h52

Com as temperaturas em queda, o friozinho do inverno nos ajuda ainda mais a reforçar essa quarentena, já que a orientação é permanecer em casa. Mas, para ficar com a casa ainda mais acolhedora já pensou em ter uma lareira?  Além do aconchego instantâneo, há uma sensação de conforto e acolhimento que proporciona um cenário perfeito para reunir a família em torno de uma boa conversa ou um bom filme.

Mas lareira é um luxo para poucos, certo? Errado. Elas deixaram de ser objetos inacessíveis e podem estar presentes em qualquer lugar, mesmo em moradas menores. Foi-se o tempo em que, para incluí-las no projeto de uma casa, era necessário ter muito espaço e ainda a necessidade de enfrentar uma obra. A gás, elétrica ou em versões ecológicas, a lareira tornou-se mais prática e até portátil. Existe uma infinidade de opções que podem ser instaladas de forma rápida e sem muito trabalho. Quer saber como escolher a sua lareira ideal? Seguem as dicas:

O conteúdo continua após o anúncio

Lareira ecológica

São os modelos que usam álcool ou etanol feito à base de cereais, combustível de fonte renovável com baixíssima emissão de carbono, sem o uso de energia elétrica, queima de combustível fóssil ou queima de madeira sem proporcionar qualquer dano à natureza. Dispensam o uso da lenha e, por isso, não necessitam de chaminé. Além de não requerer qualquer tipo de instalação especial, possuem alto poder de calor, o que faz com que sejam normalmente mais econômico que os demais. Elas também podem ser portáteis, por isso é o tipo de modelo mais versátil. Seu acendimento é rápido e prático e não gera sujeira. Ideal para quem não quer perder o conforto que o fogo de verdade trás, mas também não abre mão da praticidade.

Lareira a gás

Este é mais um modelo que não necessita de lenha para funcionar e, em função disso, dispensa o uso de dutos de exaustão. Existem dois modelos para esse tipo de lareira. Um deles é o linear, que vem com pedras vulcânicas colocadas sobre os queimadores. Essas pedras retêm o calor sobre o equipamento, mantendo a temperatura do ambiente por muito mais tempo. O outro modelo é o que usa lenhas de cerâmica refratária, que possuem um ótimo rendimento térmico. Esse modelo já vem com uma grelha que pode ser apoiada sobre qualquer superfície. Uma das principais vantagens está no seu acionamento, que se dá apenas com a simples ativação de um botão. Outra vantagem é que as instalações de gás natural propiciam que esse modelo possa ser instalado em quase qualquer lugar da casa. Solução mais saudável e limpa, uma vez que não há emissão de fuligem nem fumaça.

Lareira elétrica

É muito similar a um aquecedor, com um diferencial: reproduz em 3D a imagem das labaredas, proporcionando um conforto visual semelhante ao do fogo. É de fácil acionamento, para ligar esse modelo basta acionar um botão no controle remoto sem nem sair do sofá. Não requer limpeza interna, e o brilho das chamas também pode ser controlado. A praticidade também é uma das grandes vantagens. A desvantagem é em relação ao consumo de energia. Quanto maior a potência, maior será seu consumo.

lareira lareira-3-destacada
<
>

As lareiras ficam lindas em qualquer ambiente e podem ser usadas em diferentes lugares da casa. Porém, a escolha deve ser pensada levando-se em conta um conjunto de características do local que vai receber, além disso, se será proporcional ao espaço que você deseja aquecer.

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia