Tópicos em alta: delivery jf / eleições 2020 / coronavírus / greve / polícia

Escudos de proteção

Já que o distanciamento social ainda fará parte de nossa vida por um bom tempo, vamos falar de soluções que podemos adotar para combater a disseminação desse vírus e colaborar para um retorno mais seguro das atividades econômicas e sociais

Por Aletheia Westermann

19/07/2020 às 07h00 - Atualizada 17/07/2020 às 21h05

Você já ouviu falar em plexiglas? Também conhecido como acrílico, vidro acrílico ou, cientificamente, poli (metacrilato de metila), o plexiglas é um termoplástico transparente à base de petróleo tipicamente fabricado em chapas. É um material forte, maleável, porém, leve e com maior resistência ao impacto que o vidro. Útil para aplicações externas, devido a uma maior estabilidade ambiental do que a maioria dos outros plásticos, como poliestireno e polietileno.

Essas vantagens, combinadas com outras propriedades, como alta vida útil, transmissão eficaz da luz e processamento simples, torna-o uma invenção extremamente favorável. Embora tenha sido inventado em 1901, somente em 1933 foi introduziu no mercado pela primeira vez. O material, considerado uma alternativa ao vidro por ser leve e resistente a estilhaços, teve uma história fascinante e experimentou uma infinidade de usos diferentes já naquele tempo. Hoje, o acrílico continua sendo utilizado de maneiras novas e interessantes, inclusive com o potencial de ajudar a combater a disseminação do coronavírus.

Arquitetonicamente, o acrílico pode ser usado em várias situações, mas é frequentemente utilizado em pergolados e em claraboias, devido à sua fácil manutenção, resistência às intempéries e tendência a acumular pouca sujeira. Essas vantagens também o tornam um material interessante para o design de móveis, especialmente para prateleiras, bancos e mesas, entre outras aplicações de produtos e projetos mais especializados, como construção de estufas e painéis solares.

Com os requisitos de segurança em virtude da Covid-19, a pandemia exigiu que o retorno ao trabalho tenha uma organização mais cuidadosa no planejamento dos espaços físicos para prevenção e manutenção da saúde dos funcionários. Divisórias como escudos de proteção para trabalhadores e clientes têm reforçado ainda mais a utilidade dos acrílicos, que adquiriram mais essa função.

Além disso, ideias criativas não faltam, principalmente para um produto que pode assumir várias formas – e já há projetos sendo pensado para espaços públicos e privados por inúmeros arquitetos, designers e urbanistas, tanto nas medidas de segurança mais eficazes quanto esteticamente mais agradáveis. E a boa notícia é que o acrílico é um material 100% reciclável, indo totalmente ao encontro de questões urgentes como sustentabilidade, reuso e negócios sustentáveis. Seu uso provavelmente aumentará muito no futuro próximo.

O conteúdo continua após o anúncio

Quer saber mais, siga também nosso blog  ou visite nosso site.

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia