Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / polícia / eleições 2020 / bolsonaro

Mercado em transformação

Clientes impõem novos padrões de comportamento e desafiam os antigos espaços comerciais

Por Aletheia Westermann

16/02/2020 às 06h57 - Atualizada 14/02/2020 às 19h51

São as mudanças no consumidor que direcionam o mercado de consumo. Exigentes e engajados, com novos valores, esses clientes estão impondo novos padrões de comportamento e desafiando os antigos espaços comerciais. Diante desse cenário, é preciso estar atento a produtos e experiências que podem ser priorizados.

Dentre essas exigências, um cuidadoso projeto de Arquitetura de Interior, além de criar uma atmosfera convidativa, alinha uma melhor percepção do espaço, agrega valor na marca e valoriza os artigos a ponto de despertar nas pessoas a vontade de adquirir o produto ou serviço ofertado. Para tanto, algumas questões deverão ser levadas em consideração para um desenvolvimento acertado do projeto.

O perfil do cliente e as características dos produtos são as primeiras diretrizes analisadas para que, depois de definidos, possam ser aplicados fisicamente os atributos estéticos da marca com a definição do layout, matérias de acabamento, mobiliário, exposição dos artigos. Entretanto, é importante ajustar isso às áreas que darão suporte ao funcionamento do negócio. Um bom planejamento otimiza o funcionamento do lugar, e quanto maior for a compreensão das atividades ali abrigadas, mais interessante será o local, tanto as que serão percebidas pelos clientes quanto pelas pessoas que trabalham ali.

O conteúdo continua após o anúncio

Diante disso, é preciso buscar mecanismos para atrair a atenção das pessoas para que elas se sintam estimuladas a entrar e consumir, uma vez que compras realizadas pelos dispositivos móveis fazem parte dessa mudança de comportamento.

Uma tendência atual para estabelecimentos é trabalhar os ambientes de modo que transmitam acolhimento e motivação. As escolhas acertadas de cores e dos revestimentos tornam o espaço mais convidativo e menos impessoal, e o design se aproxima cada vez mais do artesanal, do natural.
A iluminação é outra ferramenta importante que precisa ser trabalhada minuciosamente, desde a fachada/vitrine ao interior do espaço. Sendo negligenciada, poderá ser muito prejudicial ao negócio, mas, o contrário, ajuda a valorizar produtos e detalhes além de atrair clientes. Aposte nas lâmpadas de LED, que têm mais tecnologia, eficiência energética e são bem mais econômicas.

Por fim, hoje o conceito das lojas comerciais é de espaços multissensoriais, que se transformaram em ambientes não só de consumo, mas, de entretenimento também. Além dos temas acima, somam-se música e cheiro (aromaterapia) que ajudam a atingir os estímulos sensoriais e sentimentos dos clientes, dando sensação de bem-estar e conforto.

Siga também nosso blog.

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia