Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / polícia / eleições 2020 / bolsonaro

A percepção dos espaços interiores

Ambientes agradáveis podem influenciar positivamente no humor e no bem-estar das pessoas, ao contrário de locais mal iluminados

Por Aletheia Westermann

15/03/2020 às 07h00 - Atualizada 14/03/2020 às 15h34

Passamos cada vez mais tempo em espaços fechados, seja no trabalho, em casa ou mesmo em áreas de lazer. Enquanto interiores agradáveis podem influenciar positivamente no humor e no bem-estar das pessoas, locais mal iluminados e desconfortáveis podem favorecer justamente o contrário. Por isso, a responsabilidade de projetar interiores é tão importante, mesmo que muitas vezes seja considerado menor por alguns profissionais.

Ao conceber um projeto de interiores, o arquiteto tem o poder de influenciar a maior parte das variáveis que inspiram as sensações que seus ocupantes poderão sentir através da arquitetura, sejam na iluminação artificial, na luz natural, nas proporções ou nos materiais.

Visto isso, há artifícios que permitem alterar a percepção dos espaços e proporcionar as sensações espaciais desejadas sem mudar um centímetro de parede. De acordo com a disposição das cores, revestimentos ou texturas em um ambiente, a perspectiva pode se alterar completamente, fazendo com que o cômodo possa parecer mais alto, mais longo, mais largo ou destacar um elemento em particular.

Foto: Alethéia Weetermann/Acervo Pessoal
Foto: Alethéia Weetermann/Acervo Pessoal
Foto: Alethéia Weetermann/Acervo Pessoal

Ampliar o ambiente| Compactar o ambiente

Para proporcionar uma sensação de amplitude ao ambiente, a melhor forma é utilizar cores claras na maior parte das superfícies, que refletirão a luz natural, tornando-o maior aos olhos.

Por outro lado, quando a ideia é tornar o cômodo mais compacto, menor e mais aconchegante, optar por cores mais fortes nas superfícies pode funcionar bem. Elas absorverão a maioria da luz natural, dando uma sensação de confinamento que pode ser benéfica para determinadas funções.

Diminuir a altura | Alongar o ambiente

Há situações em que diminuir a altura do pé-direito pode tornar o espaço mais agradável e favorecer a sensação de acolhimento. Ao optar por uma cor mais escura que as paredes ou deixá-lo com um material aparente, esse recurso dará a sensação de que o teto é mais baixo.

O conteúdo continua após o anúncio

Em outras ocasiões, é exatamente o contrário. Há apartamentos cujos pés-direitos mínimos dão uma sensação claustrofóbica aos espaços. Nesta situação, deixar as paredes numa cor mais escura e o teto claro passa a sensação de um pé-direito mais alto.

Alargar o ambiente| Estreitar o ambiente| Encurtar o ambiente

Utilizar a parede de fundo e o teto com as mesmas cores, porém escuras e deixando as paredes laterais mais claras, fará com que o espaço pareça mais largo e espaçoso. Essa é uma solução bastante usada em corredores ou cômodos estreitos.

Dá mesma maneira, ao deixar o fundo e o teto em cores mais claras e as paredes laterais e opostas em tons mais escuros tornar o espaço mais estreito aos olhos, podendo melhorar as proporções de salas com dimensões pouco equilibradas.

Já se você tem algum ambiente muito grande na sua casa e quer dar a sensação de aproximação, invista em tons escuros na parede de fundo em contraste com cores mais claras.

Destacar uma parede| Encurtar o ambiente

Para dar destaque a uma parede, é indicado mantê-la com uma cor mais clara, enquanto que as outras tenham uma tonalidade mais escura. Isso faz com que a visão seja atraída a ela. Se a ideia é fazer as paredes serem menos longas, aplicar um tom mais escuro na parte inferior da parede funcionará.

Curtiu as nossas dicas?
Então dá um pulinho no nosso site (www.aletheia.com.br) e no nosso blog: www. tribunademinas.com.br/blog/aletheiawestermann

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia