Tópicos em alta: delivery jf / eleições 2020 / coronavírus / greve / polícia

A máscara

Por Ana Paula Calixto

22/05/2020 às 06h49 - Atualizada 22/05/2020 às 13h59

O uso de máscaras tornou-se um dos recursos mais importantes para a prevenção da Covid-19. Usar a máscara, além de obrigatório, se tornou um elemento essencial da nossa convivência, uma atitude de respeito, empatia e solidariedade.

Provavelmente, teremos que usar este equipamento de proteção no convívio social por um bom tempo, pois as máscaras assumiram o protagonismo como ferramenta de diminuição de contágio pelo novo coronavírus. A obrigatoriedade do uso, transforma a máscara, um equipamento de proteção individual (EPI ) das equipes de saúde, no acessório mais demandado do momento. A máscara agora é uma peça do vestuário de uso diário e, como tal, atende às funções de adorno e ornamentação, em que extrapola a função de utilidade, a comprovada eficácia de proteger contra a disseminação da Covid -19, e passa a exercer também o papel de expressão da individualidade de cada um, independente da legítima preocupação com a saúde.

Neste novo cenário, as máscaras fazem parte do nosso vestuário e, como qualquer peça que usamos rotineiramente, estarão sujeitas às intervenções e manifestações de estilo de quem as veste.

As peças que usamos indicam o esforço para construirmos a nossa própria identidade, o nosso estilo. E a partir do momento em que as máscaras passam a constituir o nosso visual, elas também irão transmitir sinais do que somos, dos nossos gostos, das nossas escolhas, como qualquer outra peça do vestuário. Vamos ver uma variedade enorme de modelos de máscaras, criações inusitadas, uso criativo de cores, estampas, designs, e isso tudo é muito salutar! É um movimento natural da moda, onde a forma extrapola a função. As roupas, por definição, são funcionais, mas também as usamos para nos diferenciar. A atitude que leva à escolha ultrapassa a necessidade, a função de uso; a escolha personaliza, distingue dos outros.

O vestuário de moda é considerado como a expressão de valores individuais e sociais predominantes em período de tempo determinado. A escolha do modelo ou padronagem da máscara irá demonstrar o estilo de cada pessoa, seus anseios, suas vontades, pois essa escolha faz parte da sua expressão e também de um autoaprimoramento psicológico, também função do vestuário.

O conteúdo continua após o anúncio

Cada um usa a máscara do modelo que se sentir bem. Ponto! E se alguém escolher usar máscara com desenho, colorida, em formatos inusitados, isso não caracteriza comportamento de desrespeito com a delicada situação que estamos vivendo, é somente uma manifestação da sua personalidade e da sua vontade.

Se há tempos a moda busca abolir o padrão no vestir, por que agora exigir uma mesma maneira de usar máscaras? Viva a diversidade!
A máscara é um item que veio para ficar e irá fazer parte das coleções de moda e com modelos para todos os gostos e bolsos! Ela deve ser incorporada ao guarda-roupa e ao portfólio das grifes como um equipamento de proteção individual e, sim, um acessório de moda.

Com o tempo, colocar as máscaras ao sair de casa terá o mesmo ato de praticidade e normalidade de colocar os óculos escuros, um novo hábito da arte de vestir. A escolha do modelo será a manifestação do seu estilo, não abra mão dele. Vai de cada um usar tudo combinadinho, usar com mix de estampas, escolher modelos com brilho, variar os tecidos e cores ou usar sempre o mesmo modelo básico em preto e branco.

Sinta-se livre para carregar frases nas suas máscaras, fazer customizações, adaptar lenços e experimentar amarrações diferenciadas. A escolha das cores, das estampas, dos tecidos pode variar de acordo com o astral do dia e também com a ocasião. Pense em qual máscara te representa, escolha o seu modelo, use do seu jeito, mas use! Não se esqueça da função da máscara, ela pode salvar vidas!

Além da obrigatoriedade, usar máscara é um comportamento ético, é mostrar que se importa com a comunidade, que você se cuida e cuida do outro. É uma atitude pelo bem do outro e do todo. A função do processo de socialização é educar para se comportar apropriadamente em cada nova situação.

Usar máscara, antes de tudo, é um ato de respeito com a vida.

Ficha técnica: ilustrações DaniBrito @mercadodasalvacaostudio

Ana Paula Calixto

Ana Paula Calixto

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia