Eu acredito

Acreditar na cidade é reforçar a aposta no futuro e acentuar a crença na capacidade de seu povo

Por Tribuna

24/09/2017 às 06h25

Em setembro de 1981, quando circulou pela primeira vez, a Tribuna se apresentou aos leitores como um jornal que defendia a livre iniciativa e tinha preocupações objetivas com o desenvolvimento de Juiz de Fora e da região. Já alertava que a cidade não poderia crescer sozinha, havendo necessidade de o seu entorno também receber benefícios. Era um período difícil, que, no ano seguinte, teria o ‘setembro negro’, marcado por eventos como choques do petróleo, aumento das taxas de juros dos EUA, a guerra entre Irã e Iraque e uma dívida externa impagável, forçando o país a se curvar diante do FMI. Mesmo assim, o Grupo Solar – hoje Solar Comunicação – acreditava na virada, no encontro de um norte que tirasse o país do atoleiro e marcasse um novo período de crescimento.

O setembro de 2017 mantém poucas semelhanças, mas, da mesma forma, o país tenta sair de uma crise econômica fruto de uma conjuntura externa, mas resultado, sobretudo, da ineficiência do Estado em gerenciar suas contas, gastando mais do que a arrecadação e fazendo concessões demagógicas apenas para ter bons resultados nas urnas. Hoje, o país vive impasses políticos com a Lava Jato, mas há saída.

A edição deste domingo marca a oficialização de um projeto que deve ser reverberado, também, por outros meios, a fim de mudar o ânimo da cidade, acentuar a autoestima de seu povo e mobilizar os setores produtivos a investirem em Juiz de Fora e na região. Quando o grupo destaca “JF, eu acredito”, assina um projeto que não é exclusivo do jornal e de suas demais plataformas, mas de todos. É necessário acentuar o pertencimento. Somos todos daqui, independentemente do lugar de origem. Juiz de Fora é uma cidade pioneira e deve manter essa vocação para garantir o seu papel no rol dos atores do desenvolvimento.

O conteúdo continua após o anúncio

Acreditar é apostar na capacidade empreendedora de trabalhadores e empresários, na boa política, nas ações que reforçam a cidadania. É exigir de seus representantes nos fóruns legislativos e executivos ações mais intensas em torno da Zona da Mata, desprendidas do viés pessoal. Para isso, precisam atuar juntos, pois serão mais fortes.
O Grupo Solar, em todas as suas frentes – Tribuna, rádios Solar FM, CBN e a plataforma digital -, estará envolvido nessa causa, na qual há espaço para todos aqueles que acreditam na capacidade juiz-forana de ir adiante.

 

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia